Em formação

Russell Kerr


Russell Kerr nasceu em 1921. Educado na Austrália, formou-se em Economia na Universidade de Sydney. Durante a Segunda Guerra Mundial, ele serviu na Força Aérea Real.

Depois da guerra, ele se juntou ao Partido Trabalhista e foi membro da Executiva Nacional da Associação de Funcionários Técnicos e Gerenciais Científicos. Em 1960 ele se casou com Anne Kerr.

Kerr foi eleito para representar Feltham nas Eleições Gerais de 1966. Na Câmara dos Comuns, Kerr se associou a um grupo de membros de esquerda que incluía Konni Zilliacus, Ian Mikardo, Barbara Castle, Sydney Silverman, Geoffrey Bing e Emrys Hughes.

Em 1966, Kerr juntou-se a Michael Foot, Konni Zilliacus, William Warbey, Anne Kerr, Stan Newens, Norman Atkinson, John Mendelson e Sydney Silverman no protesto contra a intervenção americana no Vietnã. No entanto, Kerr e seus amigos não conseguiram persuadir o primeiro-ministro trabalhista, Harold Wilson, a condenar a política dos EUA para o Vietnã.

Kerr foi presidente do Tribune Group (1969-70) e do Select Committee on Nationalized Industries (1974-79).


Descrição do catálogo Sir Russell Kerr

Os papéis listados abaixo refletem a vida de Sir Russell Kerr no serviço público e os interesses de sua família na Floresta de Dean. Ele tinha um senso aguçado do valor da história e publicou em particular A história da família de Kerr em 1923.

Para documentos adicionais da família Kerr, consulte Gloucestershire Record Office D265, D2352, D2392 e D4562.

Kerr, Sir Russell James, 1863-1952, KB DL JP de Newnham, Gloucestershire

ESTES DOCUMENTOS ESTÃO ABERTOS IMEDIATAMENTE PARA PESQUISA

Sir Russel James Kerr, KB DL JP (1863-1952) de The Haie, Newnham-on-Severn e, mais tarde, de Hill House, Newnham, foi chamado à ordem em 1887 e praticou por algum tempo no circuito de Oxford. Ele foi nomeado JP para Gloucestershire em 1893, e serviu como Capitão e Exmo. Major no 3º Batalhão (Milícia) do Regimento de Gloucestershire até 1902, e novamente durante a Primeira Guerra Mundial. Ele foi promovido a Exmo. Tenente-Coronel quando se tornou vice-tenente do condado em 1917. Em 1910, ele sucedeu seu pai como senhor dos feudos de Newnham e Ruddle, e também serviu como verderer da floresta de Dean em 1916. Ele foi eleito vereador de o County Council em 1908 e tornou-se seu presidente de 1920-31 e também o presidente do Quarter Sessions, 1929-36.

Seu filho mais velho foi morto na Primeira Guerra Mundial, e seu filho mais novo e neto na Segunda Guerra Mundial. Quando ele morreu em 1952, sua propriedade passou para sua filha temível, Srta. M. Joan Kerr (1897-1988), que continuou a viver em Newnham até sua morte.


รัส เซล เค อ ร์

เค อ ร์ ได้ รับ รับ การ ศึกษา ที่ ฝั่ง โรงเรียน, ซิดนีย์, ซิดนีย์ ค ริ สต จักร แห่ง อังกฤษ โรงเรียน มัธยม และ มหาวิทยาลัย ซิดนีย์ เขา เขา เสิร์ฟ เบิก เบิก พล ของ กองทัพ อากาศ ใน ช่วง สงครามโลก ครั้ง ที่ สอง เขา กลาย เป็น ผู้ อำนวย การ การ สมาคม ผังเมือง และ ประเทศ เป็น ผู้ บริหาร เช่า เหมา เหมา ทาง อากาศ เขา เป็น สมาชิก ระดับ ชาติ ของ สมาคม พนักงาน กำกับ ดูแล ดูแล ผู้ บริหาร และ ช่าง เทคนิค ตั้งแต่ ปี 2507

เค อ ร์ เข้า ร่วม ประกวด ฮ อ ร์ แช ใน 1951, เม อ ร์ ตัน และ มอ ร์ เดน ใน 1959 และ เพรส ตัน น อ ร์ ท ใน 1964

เขา เป็น สมาชิก รัฐสภา สำหรับ Feltham จาก ปี 1966 ที่ จะ ปี 1974 และ Feltham และ สตัน จาก ปี 1974 ที่ จะ ปี 1983 เขา สูญ เสีย ที่นั่ง ใน ความ ความ พ่าย แพ้ อย่าง ถล่ม ทลาย ใน ปี นั้น เป็น แรงงาน เพื่อ อนุรักษ์ นิยม แพ ทริค พื้น

ใน ปี พ. ศ. 2503 เขา ได้ แต่งงาน กับ แอ น น์ เค อ ร์ ต่อ มา เป็น สมาชิก รัฐสภา ของ โร โร เช ส เตอร์ และ ชา แธ ม ระหว่าง ปี 2507 ถึง พ.ศ. 2513

เมื่อ วัน ที่ 15 พฤศจิกายน พ.ศ. 2526 เขา ถูก พบ ว่า เสีย ชีวิต ใน รถ ของ เขา ใน ทวิ ค เก น แนม เชื่อ เชื่อ กัน ว่า เขา เป็น โรค หลอดเลือด สมอง เขา อายุ 62

บทความ เรื่อง นี้ แรงงาน สมาชิก ของ รัฐสภา แห่ง สห ราช อาณาจักร (MP) คิด เป็น ภาษา อังกฤษ เลือกตั้ง เป็น ต้นขั้ว คุณ สามารถ ช่วย วิ กิ พี เดีย โดย ขยาย


História, crista da família e brasões de Kerr

As primeiras formas de sobrenomes hereditários na Escócia eram os sobrenomes patronímicos, que são derivados do nome próprio do pai, e os sobrenomes metronímicos, que são derivados do nome próprio da mãe. Os nomes patronímicos escoceses surgiram já em meados do século IX. Os patrônimos eram derivados de uma variedade de nomes próprios de muitas origens diferentes. O sobrenome Kerr é derivado do nome gaélico O'Ciarain ou O'Ceirin, que vem da palavra gaélica ciar, que significa Preto ou marrom escuro.

Conjunto de 4 canecas de café e chaveiros

$69.95 $48.95

Origens da família Kerr

O sobrenome Kerr foi encontrado pela primeira vez em Lancashire (localizado no noroeste da Inglaterra e data de 1180), onde um dos primeiros registros de um progenitor do Clã foi um John Ker, caçador, residente de Soonhope em 1190 DC. Acredita-se que ele recebeu uma concessão de terras da Coroa e se estabeleceu no país fronteiriço da Escócia logo após a invasão normanda ter se mudado para o norte.

Em um século, dois ramos principais evoluíram de dois irmãos, Ralph e John, que viviam perto de Jedburgh em c. 1330. Ambos foram listados no Roll of Battle Abbey como descendentes de Norman Karre. [1] Os Kerrs de Cessford eram descendentes de Ralph, e os Kerrs de Ferniehurst eram descendentes de John.

Agora chamamos a atenção do leitor para uma origem ligeiramente diferente com uma linha de tempo diferente, mas semelhante. & quotDois irmãos, de ascendência anglo-normanda, que levavam este nome [Karre] teriam se estabelecido na Escócia durante o século XIII. Ninguém sabia quem era o mais velho das duas, pois 'nenhuma das casas renderia a superioridade sobre a outra, formando duas raças distintas de chefes de fronteira guerreiros'. Os Kerrs de Fernihirst são representados pelos Marqueses de Lothian, os Kers de Cessord pelos Duques de Roxburghe. & Quot [2]

Acreditamos que a referência ao século 13 é um erro de digitação, já que deveria ter lido século 14 (1300) e não 1200.

Pacote de história do brasão e sobrenome

$24.95 $21.20

História Antiga da família Kerr

Esta página da web mostra apenas um pequeno trecho de nossa pesquisa Kerr. Outras 172 palavras (12 linhas de texto) cobrindo os anos 1130, 1205, 1264, 1296, 1350, 1553, 1609, 1606, 1570, 1650, 1616, 1578, 1654, 1570, 1650, 1675, 1605, 1675, 1615, 1684, 1624, 1690, 1680, 1741, 1600, 1797 e estão incluídos no tópico Early Kerr History em todos os nossos produtos PDF Extended History e produtos impressos, sempre que possível.

Moletom com capuz brasão unissex

Variações de grafia de Kerr

As traduções frequentes de sobrenomes de e para o gaélico são responsáveis ​​pela infinidade de variações ortográficas encontradas nos sobrenomes escoceses. Além disso, a grafia dos sobrenomes raramente era consistente porque os escribas medievais e oficiais da igreja registravam os nomes conforme soavam, em vez de seguir quaisquer regras de grafia específicas. As diferentes versões de um sobrenome, como a inclusão do prefixo patronímico & quotMac & quot, freqüentemente indicavam uma afiliação religiosa ou de Clã, ou mesmo uma divisão da família. Além disso, um grande número de nomes estrangeiros foi trazido para a Escócia, acelerando e acentuando as alterações em vários sobrenomes. O nome Kerr também foi soletrado Kerr, Car, Carr, Ker, Cearr (gaélico) e muitos mais.

Primeiros notáveis ​​da família Kerr (antes de 1700)

Notável entre a família nesta época foi Mark Kerr (1553-1609), de Ferniehurst, que foi feito primeiro conde de Lothian em 1606 Robert Ker (1570-1650) de Cessford, que foi nomeado primeiro conde de Roxburghe em 1616 Robert Kerr (ou Carr), primeiro conde de Ancram (c. 1578-1654), um nobre escocês e escritor Robert Ker, primeiro conde de.
Outras 57 palavras (4 linhas de texto) estão incluídas no tópico Early Kerr Notables em todos os nossos produtos PDF Extended History e produtos impressos, sempre que possível.

Migração da família Kerr para a Irlanda

Parte da família Kerr mudou-se para a Irlanda, mas este tópico não é abordado neste trecho.
Outras 155 palavras (11 linhas de texto) sobre sua vida na Irlanda estão incluídas em todos os nossos produtos PDF Extended History e produtos impressos, sempre que possível.

Migração Kerr +

Alguns dos primeiros colonos com este sobrenome foram:

Colonos Kerr nos Estados Unidos no século 18
  • Johan Kerr, que desembarcou na Pensilvânia em 1728 [3]
  • Christian Kerr, que chegou à Pensilvânia em 1733 [3]
  • Friederich Kerr, que chegou à Pensilvânia em 1742 [3]
  • Barnard Kerr, que chegou à Filadélfia, Pensilvânia em 1745 [3]
  • Samuel Kerr, que desembarcou na Carolina do Sul em 1772 [3]
  • . (Mais estão disponíveis em todos os nossos produtos PDF Extended History e produtos impressos, sempre que possível.)
Colonos Kerr nos Estados Unidos no século 19
  • Thomas Kerr, que desembarcou no Condado de Somerset, Pensilvânia em 1802 [3]
  • Hannah Kerr, de 25 anos, que desembarcou em Nova York, NY em 1803 [3]
  • Josiah Kerr, de 28 anos, que chegou a Nova York, NY em 1804 [3]
  • Alex Kerr, que chegou à América em 1805 [3]
  • Anne Kerr, que chegou à América em 1805 [3]
  • . (Mais estão disponíveis em todos os nossos produtos PDF Extended History e produtos impressos, sempre que possível.)
Colonos Kerr nos Estados Unidos no século 20

Migração Kerr para o Canadá +

Alguns dos primeiros colonos com este sobrenome foram:

Colonos Kerr no Canadá no século 18
  • William Kerr de St. John's, Newfoundland no final dos anos 1700 [4]
  • Dr. Kerr Robert U.E. (n. 1755) nascido na Escócia, Reino Unido, de Nova York, EUA, que chegou a Quebec c. 1779, a mudança é necessária antes de se estabelecer em Fredericksburgh, município de Cataraqui. Em 1789, ele serviu no 2º Batalhão do Kings Royal Rangers de Nova York antes de ser capturado em 1777, fugindo em 1779, ele era um cirurgião assistente, ele se casou com Elizabeth Brant Johnson em 1783 tendo 5 filhos, ele morreu em 1824 [5]
  • Capitão Kerr James U.E. (nascido em 1754) que se estabeleceu em Parr Town [Saint John], New Brunswick c. 1784 ele serviu no Queens Rangers, morreu em 1830 em Amherst, Nova Scotia [5]
  • Sr. Kerr James U.E. que se estabeleceu no Canadá c. 1784 [5]
Colonos Kerr no Canadá no século 19
  • John Campbell Kerr, de 22 anos, seleiro, que chegou a Quebec a bordo do navio & quotAtlas & quot em 1815
  • John Kerr, que chegou ao Canadá em 1815
  • John Kerr, de 27 anos, um fazendeiro, que chegou a Saint John, New Brunswick em 1833 a bordo do brigue & quotWilliam & quot de Cork, Irlanda
  • Bess Kerr, de 13 anos, que chegou a Saint John, New Brunswick em 1834 a bordo do brigue & quotBetsy Heron & quot de Belfast, Irlanda
  • Peggy Kerr, de 19 anos, que chegou a Saint John, New Brunswick em 1834 a bordo do brigue & quotBetsy Heron & quot de Belfast, Irlanda
  • . (Mais estão disponíveis em todos os nossos produtos PDF Extended History e produtos impressos, sempre que possível.)

Migração de Kerr para Austrália +

A emigração para a Austrália seguiu as primeiras frotas de condenados, comerciantes e primeiros colonos. Os primeiros imigrantes incluem:

Colonos Kerr na Austrália no século 19
  • Henry Kerr, condenado escocês de Edimburgo, que foi transportado a bordo do & quotAgamemnon & quot em 22 de abril de 1820, estabelecendo-se em Nova Gales do Sul, Austrália [6]
  • Thomas Kerr, que chegou a Adelaide, Austrália a bordo do navio & quotGlenswilly & quot em 1839 [7]
  • Sr. William Kerr, condenado canadense que foi condenado em Quebec, Canadá por 7 anos, transportado a bordo do & quotCanton & quot em 20 de setembro de 1839, chegando à Tasmânia (Terra de Van Diemen), transportado de Quebec para a Inglaterra [8]
  • James Kerr, que chegou a Adelaide, Austrália a bordo do navio & quotJohn & quot em 1840 [9]
  • Sr. James Kerr, (n. 1812), 28 anos, jardineiro inglês de Londres, Inglaterra, Reino Unido viajando a bordo do navio & quotOrient & quot chegando em Port Phillip, New South Wales, Austrália em 13 de dezembro de 1840 [10]
  • . (Mais estão disponíveis em todos os nossos produtos PDF Extended History e produtos impressos, sempre que possível.)

Migração de Kerr para a Nova Zelândia +

A emigração para a Nova Zelândia seguiu os passos dos exploradores europeus, como o Capitão Cook (1769-70): primeiro vieram caçadores de focas, baleeiros, missionários e comerciantes. Em 1838, a Companhia Britânica da Nova Zelândia começou a comprar terras das tribos Maori e vendê-las aos colonos e, após o Tratado de Waitangi em 1840, muitas famílias britânicas iniciaram a árdua jornada de seis meses da Grã-Bretanha a Aotearoa para começar uma nova vida. Os primeiros imigrantes incluem:

Colonos Kerr na Nova Zelândia no século 19
  • Alexander Kerr, de 14 anos, que chegou a Nelson, Nova Zelândia a bordo do navio & quotFifeshire & quot em 1842
  • John Kerr, de 41 anos, fazendeiro, chegou a Nelson, na Nova Zelândia, a bordo do navio & quotFifeshire & quot em 1842
  • Janet Kerr, de 42 anos, chegou a Nelson, na Nova Zelândia, a bordo do navio & quotFifeshire & quot em 1842
  • James Kerr, de 20 anos, fazendeiro, chegou a Nelson, na Nova Zelândia, a bordo do navio & quotFifeshire & quot em 1842
  • David Kerr, de 18 anos, fazendeiro, chegou a Nelson, na Nova Zelândia, a bordo do navio & quotFifeshire & quot em 1842
  • . (Mais estão disponíveis em todos os nossos produtos PDF Extended History e produtos impressos, sempre que possível.)

Notáveis ​​contemporâneos de nome Kerr (após 1700) +

  • James & quotJim & quot Kerr (nascido em 1959), músico e cantor-compositor escocês, membro da banda de rock escocesa Simple Minds, talvez mais conhecido por seu hit de 1985 & quotD Don't You (Forget About Me) & quot
  • William Alexander Kerr VC (1831-1919), escocês que recebeu a Cruz Vitória
  • John Graham Kerr (1869-1957), embriologista escocês e membro do Parlamento
  • Michael & quotMick & quot Kerr (1934-2021), jogador de futebol gaélico da Irlanda do Norte, gerente e administrador
  • Brian Francis Kerr PC (1948-2020), Baron Kerr de Tonaghmore, advogado britânico e juiz sênior, Lord Chief Justice of Northern Ireland (2004-2009)
  • Sr. Paul Andrew Kerr B.E.M., vencedor da Medalha Britânica da Medalha do Império Britânico em 29 de dezembro de 2018 pelos serviços prestados ao Resgate na Montanha e à comunidade em Cheshire [11]
  • Philip Ballantyne Kerr (1956-2018), escritor britânico, mais conhecido por sua série Bernie Gunther de 13 thrillers
  • John Michael Kerr (1950-2016), autor americano, mais conhecido por seu livro de não ficção A Most Dangerous Method
  • Robert Kerr (1882-1963), medalhista olímpico canadense de ouro e bronze por correr nos jogos de 1904 e 1908
  • Brigadeiro-general Francis Rusher Kerr (1890-1975), Administrador Assistente Americano de Assuntos de Veteranos (1946) [12]
  • . (Outros 16 notáveis ​​estão disponíveis em todos os nossos produtos PDF Extended History e produtos impressos sempre que possível.)

Eventos históricos para a família Kerr +

Voo 901 da Air New Zealand
  • Sr. Geoffrey Ian Hamilton Kerr (1958-1979), passageiro neozelandês, de Wanganui, Ilha do Norte, Nova Zelândia a bordo do voo 901 da Air New Zealand para um voo turístico da Antártida quando ele voou para o Monte Erebus, ele morreu no acidente [13]
  • Sr. Francis Ronald Kerr (1930-1979), passageiro neozelandês, de New Lynn, Auckland, Nova Zelândia a bordo do voo 901 da Air New Zealand para um voo turístico da Antártida quando ele voou para o Monte Erebus, ele morreu no acidente [13]
  • Sra. Betty Kerr (falecida em 1979), passageira neozelandesa, de New Lynn, Auckland, Nova Zelândia a bordo do voo 901 da Air New Zealand para um voo turístico da Antártida quando ele voou para o Monte Erebus, ela morreu no acidente [13]
Incêndio no estádio de Bradford City
  • Walter Kerr (1909-1985), de Bradford & # 160, que participou da partida de Bradford City e Lincoln City da Terceira Divisão em 11 de maio de 1985, quando ocorreu o incêndio no estádio de Bradford City e ele morreu no incêndio
Imperatriz da Irlanda
  • Sr. Peter Kerr (1875-1914), passageiro escocês de terceira classe de Glasgow, Escócia, Reino Unido que estava viajando a bordo do Empress of Ireland e morreu no naufrágio [14]
  • Srta. Sarah Kerr (1901-1914), passageira escocesa de terceira classe de Glasgow, Escócia, Reino Unido que estava viajando a bordo do Empress of Ireland e morreu no naufrágio [14]
  • Sra. Mary Currie Kerr (1875-1914), n & # 233e Russel Scottish Terceira Classe Passageiro de Glasgow, Escócia, Reino Unido que estava viajando a bordo do Empress of Ireland e morreu no naufrágio [14]
  • Mestre George Kerr (1906-1914), passageiro escocês de terceira classe de Glasgow, Escócia, Reino Unido que estava viajando a bordo do Empress of Ireland e morreu naufragado [14]
  • Senhorita Maggie Kerr (1902-1914), passageira escocesa de terceira classe de Glasgow, Escócia, Reino Unido que estava viajando a bordo do Empress of Ireland e morreu no naufrágio [14]
  • . (Outras 2 entradas estão disponíveis em todos os nossos produtos PDF Extended History e produtos impressos, sempre que possível.)
HMS Dorsetshire
  • George Kerr (falecido em 1945), British Ordinary Seaman a bordo do HMS Dorsetshire quando ela foi atingida por bombardeiros aéreos e afundou, ele morreu no naufrágio [15]
HMS Hood
  • Sr. Raymond W Kerr (nascido em 1923), menino inglês de 1ª classe servindo para a Marinha Real de Wallsend, Northumberland, Inglaterra, que navegou para a batalha e morreu no naufrágio [16]
  • Sr. Alexander Kerr (nascido em 1919), inglês Engine Room Artificer 5th Class servindo para a Royal Navy de Portsmouth, Hampshire, Inglaterra, que navegou para a batalha e morreu no naufrágio [16]
HMS Repulse
  • Sr. David Kerr, British Stoker 1ª Classe, que navegou para a batalha no HMS Repulse e sobreviveu ao naufrágio [17]
  • Sr. Hugh Kerr, Marinheiro Britânico Capaz, que navegou para a batalha no HMS Repulse e morreu no naufrágio [17]
  • Sr. Robert G Kerr, Marinheiro Ordinário Britânico, que navegou para a batalha no HMS Repulse e sobreviveu ao naufrágio [17]
HMS Royal Oak
  • Richard J. Kerr, suboficial britânico da Marinha Real a bordo do HMS Royal Oak quando ela foi torpedeada pelo U-47 e afundada, ele sobreviveu ao naufrágio [18]
RMS Titanic
  • Sr. Thomas Russell Kerr (falecido em 1912), de 26 anos, bombeiro / Stoker inglês de Southampton, Hampshire, que trabalhou a bordo do RMS Titanic e morreu no naufrágio [19]

Histórias Relacionadas +

The Kerr Motto +

O lema era originalmente um grito de guerra ou slogan. Os lemas começaram a ser exibidos com armas nos séculos 14 e 15, mas não eram usados ​​até o século 17. Assim, os brasões de armas mais antigos geralmente não incluem um lema. Os lemas raramente fazem parte da concessão de armas: sob a maioria das autoridades heráldicas, um lema é um componente opcional do brasão e pode ser acrescentado ou alterado à vontade que muitas famílias optaram por não exibir um lema.

Lema: Sero sed serio
Tradução do lema: Tarde, mas sério.


Genealogia KERR

WikiTree é uma comunidade de genealogistas que desenvolve uma árvore genealógica colaborativa cada vez mais precisa que é 100% gratuita para todos para sempre. Por favor junte-se a nós.

Junte-se a nós na colaboração nas árvores genealógicas KERR. Precisamos da ajuda de bons genealogistas para cultivar um completamente grátis árvore genealógica compartilhada para conectar todos nós.

AVISO DE PRIVACIDADE IMPORTANTE E ISENÇÃO DE RESPONSABILIDADE: VOCÊ TEM A RESPONSABILIDADE DE USAR CUIDADO AO DISTRIBUIR INFORMAÇÕES PRIVADAS. A WIKITREE PROTEGE AS INFORMAÇÕES MAIS SENSÍVEIS, MAS SOMENTE NA EXTENSÃO INDICADA NO TERMOS DE SERVIÇO E POLÍTICA DE PRIVACIDADE.


História, crista da família e brasões de Kerr

O conhecido sobrenome Kerr existe há muito tempo na Irlanda e se origina de várias fontes distintas. No condado de Galway, foi uma anglicização de O Carra, um nome patronímico que se refere a um descendente de Carra, a palavra Carra, por sua vez, significava & quotspear. & Quot. No condado de Donegal, Kerr era a forma anglicizada de Mac Giolla Chathair. Muitos que levam o nome Kerr na Irlanda são descendentes de emigrantes de origem escocesa ou inglesa, que trouxeram o nome com eles. Na Irlanda, muitos portadores mudaram seus nomes ao longo do tempo de Kerrane ou Kerr para Carr. Por sua vez, o nome Carr na Irlanda, em alguns casos, se transformou em Carey.

Conjunto de 4 canecas de café e chaveiros

$69.95 $48.95

Origens da família Kerr

O sobrenome Kerr foi encontrado pela primeira vez em Connacht (irlandês: Connachta, (terra dos) descendentes de Conn), onde em 1095, os anais do Loch C & # 233 listam a morte de Muirchertach Ua Cairre, & quotsteward de Cen & # 233l Aengusa e royal herdeiro da Oilech. & quot.

Pacote de história do brasão e sobrenome

$24.95 $21.20

História Antiga da família Kerr

Esta página da web mostra apenas um pequeno trecho de nossa pesquisa Kerr. Outras 85 palavras (6 linhas de texto) cobrindo os anos 1260, 1779, 1849 e 1866 estão incluídas no tópico Early Kerr History em todos os nossos produtos PDF Extended History e produtos impressos, sempre que possível.

Moletom com capuz brasão unissex

Variações de grafia de Kerr

As variações de grafia desse nome de família incluem: Carr, Kerr, O'Carr, O'Carry, MacCarry, Kerrane e muitos mais.

Primeiros notáveis ​​da família Kerr (antes de 1700)

Outras 30 palavras (2 linhas de texto) estão incluídas no tópico Early Kerr Notables em todos os nossos produtos PDF Extended History e produtos impressos, sempre que possível.

Migração Kerr +

Alguns dos primeiros colonos com este sobrenome foram:

Colonos Kerr nos Estados Unidos no século 18
  • Johan Kerr, que desembarcou na Pensilvânia em 1728 [1]
  • Christian Kerr, que chegou à Pensilvânia em 1733 [1]
  • Friederich Kerr, que chegou à Pensilvânia em 1742 [1]
  • Barnard Kerr, que chegou à Filadélfia, Pensilvânia em 1745 [1]
  • Samuel Kerr, que desembarcou na Carolina do Sul em 1772 [1]
  • . (Mais estão disponíveis em todos os nossos produtos PDF Extended History e produtos impressos, sempre que possível.)
Colonos Kerr nos Estados Unidos no século 19
  • Thomas Kerr, que desembarcou no condado de Somerset, Pensilvânia em 1802 [1]
  • Hannah Kerr, de 25 anos, que desembarcou em Nova York, NY em 1803 [1]
  • Josiah Kerr, de 28 anos, que chegou a Nova York, NY em 1804 [1]
  • Alex Kerr, que chegou à América em 1805 [1]
  • Anne Kerr, que chegou à América em 1805 [1]
  • . (Mais estão disponíveis em todos os nossos produtos PDF Extended History e produtos impressos, sempre que possível.)
Colonos Kerr nos Estados Unidos no século 20

Migração Kerr para o Canadá +

Alguns dos primeiros colonos com este sobrenome foram:

Colonos Kerr no Canadá no século 18
  • William Kerr de St. John's, Newfoundland no final dos anos 1700 [2]
  • Dr. Kerr Robert U.E. (n. 1755) nascido na Escócia, Reino Unido, de Nova York, EUA, que chegou a Quebec c. 1779, a mudança é necessária antes de se estabelecer em Fredericksburgh, município de Cataraqui. Em 1789, ele serviu no 2º Batalhão do Kings Royal Rangers de Nova York antes de ser capturado em 1777, fugindo em 1779, ele era um cirurgião assistente, ele se casou com Elizabeth Brant Johnson em 1783 tendo 5 filhos, ele morreu em 1824 [3]
  • Capitão Kerr James U.E. (nascido em 1754) que se estabeleceu em Parr Town [Saint John], New Brunswick c. 1784 ele serviu no Queens Rangers, morreu em 1830 em Amherst, Nova Scotia [3]
  • Sr. Kerr James U.E. que se estabeleceu no Canadá c. 1784 [3]
Colonos Kerr no Canadá no século 19
  • John Campbell Kerr, de 22 anos, seleiro, que chegou a Quebec a bordo do navio & quotAtlas & quot em 1815
  • John Kerr, que chegou ao Canadá em 1815
  • John Kerr, de 27 anos, um fazendeiro, que chegou a Saint John, New Brunswick em 1833 a bordo do brigue & quotWilliam & quot de Cork, Irlanda
  • Bess Kerr, de 13 anos, que chegou a Saint John, New Brunswick em 1834 a bordo do brigue & quotBetsy Heron & quot de Belfast, Irlanda
  • Peggy Kerr, de 19 anos, que chegou a Saint John, New Brunswick em 1834 a bordo do brigue & quotBetsy Heron & quot de Belfast, Irlanda
  • . (Mais estão disponíveis em todos os nossos produtos PDF Extended History e produtos impressos, sempre que possível.)

Migração de Kerr para Austrália +

A emigração para a Austrália seguiu as primeiras frotas de condenados, comerciantes e primeiros colonos. Os primeiros imigrantes incluem:

Colonos Kerr na Austrália no século 19
  • Henry Kerr, condenado escocês de Edimburgo, que foi transportado a bordo do & quotAgamemnon & quot em 22 de abril de 1820, estabelecendo-se em Nova Gales do Sul, Austrália [4]
  • Thomas Kerr, que chegou a Adelaide, Austrália, a bordo do navio & quotGlenswilly & quot em 1839 [5]
  • Sr. William Kerr, condenado canadense que foi condenado em Quebec, Canadá por 7 anos, transportado a bordo do & quotCanton & quot em 20 de setembro de 1839, chegando à Tasmânia (Terra de Van Diemen), transportado de Quebec para a Inglaterra [6]
  • James Kerr, que chegou a Adelaide, Austrália a bordo do navio & quotJohn & quot em 1840 [7]
  • Sr. James Kerr, (n. 1812), 28 anos, jardineiro inglês de Londres, Inglaterra, Reino Unido viajando a bordo do navio & quotOrient & quot chegando em Port Phillip, New South Wales, Austrália em 13 de dezembro de 1840 [8]
  • . (Mais estão disponíveis em todos os nossos produtos PDF Extended History e produtos impressos, sempre que possível.)

Migração de Kerr para a Nova Zelândia +

A emigração para a Nova Zelândia seguiu os passos dos exploradores europeus, como o Capitão Cook (1769-70): primeiro vieram caçadores de focas, baleeiros, missionários e comerciantes. Em 1838, a Companhia Britânica da Nova Zelândia começou a comprar terras das tribos Maori e vendê-las aos colonos e, após o Tratado de Waitangi em 1840, muitas famílias britânicas iniciaram a árdua jornada de seis meses da Grã-Bretanha a Aotearoa para começar uma nova vida. Os primeiros imigrantes incluem:

Colonos Kerr na Nova Zelândia no século 19
  • Alexander Kerr, de 14 anos, que chegou a Nelson, Nova Zelândia a bordo do navio & quotFifeshire & quot em 1842
  • John Kerr, de 41 anos, fazendeiro, chegou a Nelson, na Nova Zelândia, a bordo do navio & quotFifeshire & quot em 1842
  • Janet Kerr, de 42 anos, chegou a Nelson, Nova Zelândia a bordo do navio & quotFifeshire & quot em 1842
  • James Kerr, de 20 anos, fazendeiro, chegou a Nelson, na Nova Zelândia, a bordo do navio & quotFifeshire & quot em 1842
  • David Kerr, de 18 anos, fazendeiro, chegou a Nelson, na Nova Zelândia, a bordo do navio & quotFifeshire & quot em 1842
  • . (Mais estão disponíveis em todos os nossos produtos PDF Extended History e produtos impressos, sempre que possível.)

Notáveis ​​contemporâneos de nome Kerr (após 1700) +

  • Michael & quotMick & quot Kerr (1934-2021), jogador de futebol gaélico da Irlanda do Norte, gerente e administrador
  • Brian Francis Kerr PC (1948-2020), Baron Kerr de Tonaghmore, advogado britânico e juiz sênior, Lord Chief Justice of Northern Ireland (2004-2009)
  • Sr. Paul Andrew Kerr B.E.M., vencedor da Medalha Britânica da Medalha do Império Britânico em 29 de dezembro de 2018 pelos serviços prestados ao Resgate na Montanha e à comunidade em Cheshire [9]
  • Philip Ballantyne Kerr (1956-2018), escritor britânico, mais conhecido por sua série Bernie Gunther de 13 thrillers
  • John Michael Kerr (1950-2016), autor americano, mais conhecido por seu livro de não ficção A Most Dangerous Method
  • James & quotJim & quot Kerr (nascido em 1959), músico e cantor-compositor escocês, membro da banda de rock escocesa Simple Minds, talvez mais conhecido por seu hit de 1985 & quotD Don´t You (Forget About Me) & quot
  • Robert Kerr (1882-1963), medalhista olímpico canadense de ouro e bronze por correr nos jogos de 1904 e 1908
  • Brigadeiro-general Francis Rusher Kerr (1890-1975), American Assistant Administrator of Veteran Affairs (1946) [10]
  • John Graham Kerr (1869-1957), embriologista escocês e membro do Parlamento
  • Malcolm Kerr (n. 1950), político australiano
  • . (Outros 16 notáveis ​​estão disponíveis em todos os nossos produtos PDF Extended History e produtos impressos sempre que possível.)

Eventos históricos para a família Kerr +

Voo 901 da Air New Zealand
  • Sr. Geoffrey Ian Hamilton Kerr (1958-1979), passageiro neozelandês, de Wanganui, Ilha do Norte, Nova Zelândia a bordo do voo 901 da Air New Zealand para um voo turístico da Antártida quando ele voou para o Monte Erebus, ele morreu no acidente [11]
  • Sr. Francis Ronald Kerr (1930-1979), passageiro neozelandês, de New Lynn, Auckland, Nova Zelândia a bordo do voo 901 da Air New Zealand para um voo turístico da Antártida quando ele voou para o Monte Erebus, ele morreu no acidente [11]
  • Sra. Betty Kerr (falecida em 1979), passageira neozelandesa, de New Lynn, Auckland, Nova Zelândia a bordo do voo 901 da Air New Zealand para um voo turístico da Antártida quando ele voou para o Monte Erebus, ela morreu no acidente [11]
Incêndio no estádio de Bradford City
  • Walter Kerr (1909-1985), de Bradford & # 160, que participou da partida de Bradford City e Lincoln City da Terceira Divisão em 11 de maio de 1985, quando ocorreu o incêndio no estádio de Bradford City e ele morreu no incêndio
Imperatriz da Irlanda
  • Sr. Peter Kerr (1875-1914), passageiro escocês de terceira classe de Glasgow, Escócia, Reino Unido que estava viajando a bordo do Empress of Ireland e morreu no naufrágio [12]
  • Srta. Sarah Kerr (1901-1914), passageira escocesa de terceira classe de Glasgow, Escócia, Reino Unido que estava viajando a bordo do Empress of Ireland e morreu no naufrágio [12]
  • Sra. Mary Currie Kerr (1875-1914), n & # 233e Russel Scottish Terceira Classe Passageiro de Glasgow, Escócia, Reino Unido que estava viajando a bordo do Empress of Ireland e morreu no naufrágio [12]
  • Mestre George Kerr (1906-1914), passageiro escocês de terceira classe de Glasgow, Escócia, Reino Unido que viajava a bordo do Empress of Ireland e morreu naufragado [12]
  • Senhorita Maggie Kerr (1902-1914), passageira escocesa de terceira classe de Glasgow, Escócia, Reino Unido que estava viajando a bordo do Empress of Ireland e morreu no naufrágio [12]
  • . (Outras 2 entradas estão disponíveis em todos os nossos produtos PDF Extended History e produtos impressos, sempre que possível.)
HMS Dorsetshire
  • George Kerr (falecido em 1945), British Ordinary Seaman a bordo do HMS Dorsetshire quando ela foi atingida por bombardeiros aéreos e afundou, ele morreu no naufrágio [13]
HMS Hood
  • Sr. Raymond W Kerr (nascido em 1923), menino inglês de 1ª classe servindo para a Marinha Real de Wallsend, Northumberland, Inglaterra, que navegou para a batalha e morreu no naufrágio [14]
  • Sr. Alexander Kerr (nascido em 1919), inglês Engine Room Artificer 5th Class servindo para a Royal Navy de Portsmouth, Hampshire, Inglaterra, que navegou para a batalha e morreu no naufrágio [14]
HMS Repulse
  • Sr. David Kerr, British Stoker 1ª Classe, que navegou para a batalha no HMS Repulse e sobreviveu ao naufrágio [15]
  • Sr. Hugh Kerr, Marinheiro Britânico Apto para o Corpo, que navegou para a batalha no HMS Repulse e morreu no naufrágio [15]
  • Sr. Robert G Kerr, Marinheiro Ordinário Britânico, que navegou para a batalha no HMS Repulse e sobreviveu ao naufrágio [15]
HMS Royal Oak
  • Richard J. Kerr, suboficial britânico da Marinha Real a bordo do HMS Royal Oak quando ela foi torpedeada pelo U-47 e afundado, ele sobreviveu ao naufrágio [16]
RMS Titanic
  • Sr. Thomas Russell Kerr (falecido em 1912), de 26 anos, bombeiro / Stoker inglês de Southampton, Hampshire, que trabalhou a bordo do RMS Titanic e morreu no naufrágio [17]

Histórias Relacionadas +

The Kerr Motto +

O lema era originalmente um grito de guerra ou slogan. Os lemas começaram a ser exibidos com armas nos séculos 14 e 15, mas não eram usados ​​até o século 17. Assim, os brasões de armas mais antigos geralmente não incluem um lema. Os lemas raramente fazem parte da concessão de armas: sob a maioria das autoridades heráldicas, um lema é um componente opcional do brasão e pode ser acrescentado ou alterado à vontade que muitas famílias optaram por não exibir um lema.

Lema: Fida Clavo
Tradução do lema: Claro e prego


Coach & # 039s Clipboard: como o técnico Steve Kerr do Golden State Warriors pode tirar o máximo proveito de D & # 039Angelo Russell

Embora o ajuste possa parecer complicado à primeira vista, há várias maneiras de o técnico do Golden State & # 039s utilizar os pontos fortes do time & # 039s mais novo All-Star para inaugurar uma nova era do basquete Warriors.

https://images.daznservices.com/di/library/NBA_Global_CMS_image_storage/a4/c3/gil_1otiazib746yg1xyqqyeknf7ks.jpg?t=1317724849&w=500 Por Gilbert McGregor @ GMcGregor21

Steve Kerr (Ilustrações da NBA Canadá) https://images.daznservices.com/di/library/NBA_Global_CMS_image_storage/12/93/nba-coaches-clipboard-scott-kerrjpg_jecsrt06i5kn16p12r7r605g2.jpg?t=-1692737692&w=500

A temporada 2019-20 da NBA verá os Golden State Warriors parecerem muito diferentes do que eram no passado.

Já se foram Kevin Durant, Andre Iguodala e Shaun Livingston, bem como as aquisições mais recentes de DeMarcus Cousins, Quinn Cook e Jordan Bell.

O ACL rasgado sofrido pelo guarda All-Star Klay Thompson nas finais só piora as coisas, já que ele provavelmente perderá a melhor parte da temporada regular.

Na noite de estreia, Stephen Curry, Draymond Green e o técnico Steve Kerr serão as maiores constantes restantes de quando a corrida mágica da equipe começou em 2014.

Embora seja difícil encontrar pontos positivos em uma entressafra em que tantos talentos foram embora, os Warriors amenizaram o golpe da melhor maneira que puderam ao adquirir D'Angelo Russell em troca de Durant, contratando Willie Cauley-Stein, adicionando jovens talentos por meio do draft e garantindo que Thompson, Green e Kevon Looney permaneceriam como parte do futuro da franquia com acordos contratuais.

https://images.daznservices.com/di/library/NBA_Global_CMS_image_storage/3e/5d/stephen-curry-dangelo-russell_krsq49zzqalu11i3k5qidny58.jpg?t=-1377327893&w=500

Ainda assim, Kerr terá seu trabalho difícil para ele, considerando o número de mudanças abundantes. Como ele pode juntar tudo isso?

Segundo muitos relatos, Kerr é o treinador de um jogador. Em 2014, ele herdou um time de 51 vitórias após uma derrota no primeiro turno e levou-o ao título em seu primeiro ano como técnico, o primeiro de três títulos em cinco partidas consecutivas nas finais. Tendo conquistado cinco títulos como jogador sob Phil Jackson e Gregg Popovich, Kerr aprendeu com os melhores como se relacionar com seus jogadores.

Não deve ser surpresa que Russell disse a Alex Kennedy da HoopsHype que ele sente que Kerr "traz o melhor de seus jogadores e os coloca em funções onde eles podem [ser eles mesmos]. Estou muito animado com isso ... Ele é um treinador que permite que você faça o que você faz melhor. "

Na última temporada - o melhor da jovem carreira de Russell - ele mostrou muito do que faz de melhor, postando médias de 21,1 pontos, 7,0 assistências e 3,9 rebotes em 81 jogos, mas em grande parte devido ao quão dominante ele era na bola.

Talvez a estatística mais reveladora que ilustra o quanto Russell tinha a bola em suas mãos na última temporada são suas 11,4 posses por jogo como o manipulador de bola pick-and-roll - a segunda maior na liga atrás apenas de Kemba Walker (11,8), por NBA .com Stats.

https://images.daznservices.com/di/library/NBA_Global_CMS_image_storage/c4/22/kemba-dangelo-022519-ftr-nba-getty_1g6co3ixo1b1ccv4squwtz42.jpg?t=632531361&w=500

Agora, ao lado de Curry e Green, as situações em que Russell pegará a bola certamente mudarão, fato que ele reconheceu em sua entrevista com Kennedy.

“É uma situação em que eu posso entrar e não me preocupar em estar com a bola ou fora da bola ou saindo do banco ou qualquer outra coisa. Estou apenas sendo um jogador de basquete. Se eu tiver a bola em minhas mãos, eu ' Vou fazer uma jogada. Se não fizer isso, vou tentar entrar em posição para fazer uma jogada. Acho que é isso.

That's where Kerr comes in.

When asked about the offseason addition of Russell, Kerr told reporters at USA Basketball Training Camp that "I think he's going to fit right in with our group and we're gonna need him desperately, without Klay especially … it's up to us to figure it out."

As the team's presumed starting shooting guard in Thompson's absence, it's fair to assume that Russell will be looked upon to replace his production on the offensive end, but can he do it in similar situations?

Per NBA.com Stats, Thompson led the league in scoring off of screens last season with 568 points while Russell scored just 47 points off screens for the entire year.

Russell has shown the capability to score off of screens, as he does below:

It just hasn't been a big part of his game to this point of his career.

Still, Kerr could still look to adjust things offensively for the Warriors to play more to their newest acquisition's strengths.

Last season, Stephen Curry averaged 5.1 possessions per game as the ball handler in pick-and-roll situations. Him running more of those could help unlock Russell as an off-ball threat. Over half of Russell's career-high 234 3-pointers last season were assisted, often coming in situations when he spaces out, as he does here:

To mirror this sequence with the Warriors, Kerr could increase the frequency with which we see Green as the roll or pop man after setting a screen for Curry or another ball-handler, as he's proven himself as one of the best playmaking forwards in the NBA.

Cauley-Stein was one of the most used ball screeners in the league last season and tied a career-high with 2.4 assists per game. While he shouldn't be expected to make plays in a manner similar to Green, an aggressive roll or dive from the 7-footer could command the attention of help defenders to free shooters like Russell for catch-and-shoot 3s, which he knocked down 39.4% of last season.

Still, what is perhaps the biggest looming question is what happens when Thompson returns from injury? Can Kerr institute a three-guard lineup with Curry, Russell and Thompson?

At 6-foot-5, Russell has enough size to play shooting guard while the 6-foot-7 Thompson can slide to the small forward position. During his time as a Net, Russell often shared the backcourt with prolific Brooklyn guard Spencer Dinwiddie.

Another encouraging sign for the fit? Last season, Brooklyn's deadeye shooter, Joe Harris, assisted Russell more than any other teammate, largely due to the gravity provided by his elite shooting ability.

As two of the greatest shooters of all-time, both Thompson and Curry command similar attention from defences, meaning tough decisions must be made on the perimeter. Russell could very well end up as the beneficiary, meaning he has the potential to again have a big season, albeit in a different manner than last.

History - and the tape - indicate that D'Angelo Russell's fit with the Golden State Warriors could keep them atop the West's elite. As "desperately" as Steve Kerr says they need him, it could all be as simple as Russell's deviation from ball dominance and Kerr adding wrinkles to the offence that allow him to be the beneficiary of the attention the other Warriors command.

Kerr has almost seamlessly incorporated talent in years past, and this time should be no different.


June Kerr (1932–2018)

Russell Kerr has been the treasured father of ballet in New Zealand since he returned here in 1957 after some years dancing in UK, where he had married fellow dancer, June Greenhalgh. His directorship of New Zealand Ballet in 1960s was a visionary and courageous one and his loyal contribution has continued in all the years since. June danced in the celebrated United Ballet seasons of 1959–1960, but then became the mother of two children. Her contribution to ballet in this country may not have been as publicly visible as her husband’s but it was just as real, and she was with him every step of the way.

June Kerr, nee Greenhalgh, was born in 1932, in Southend-on-Sea, England, the youngest of three children. Her father had started his seafaring career on sailing ships and later became a merchant navy captain while her mother held the home fires during his extended periods of time away at sea.

As a child June attended the Cone-Ripman school where the curriculum combined general education with ballet and related theatre-arts training. Originally based in London but relocated during WWII to Hertfordshire, it later became known as Arts Educational School.

Anton Dolin, having danced with Diaghilev’s Ballets Russes, became a pioneer of ballet in England (and toured New Zealand with the Covent Garden Russian Ballet in late 1930s). Dolin visited the Cone-Ripman school after World War II and selected 12 young dancers, June Greenhalgh among them, to join a troupe he and Alicia Markova were forming. This later developed into a permanent London-based company, Festival Ballet, of which June was thus a foundation member. (Renamed English National Ballet in 1989, this is the company that performed a season of Giselle in Auckland earlier this year. The ballet world sits across national boundaries and through time, its best dancers becoming citizens of an international ‘country’).

In 1952 Anne Rowse, a young New Zealand dancer training in London, also joined Festival Ballet, and she and June became instant friends. Anne spoke movingly at the funeral of the lifelong friendship that ensued.

June Greenhalgh in Ruth Page’s The Merry Widow/Vilia. Festival Ballet 1953

In 1953 another young New Zealander, Russell Kerr, joined Festival Ballet. He and June held hands, but he explained to her they’d better not get too serious because he would at some stage be returning to New Zealand, feeling a moral obligation to do that on account of the Government bursary he had been awarded. ‘Not a problem. I’d come too,’ replied June, and so they were married without delay.

Festival Ballet, under the Polish impresario Julian Braunsweg, toured and performed in UK, Europe, Canada and US with memorable programs, and the likes of Igor Stravinsky conducting in the pit. In 1957 the Kerrs left all that behind and came to settle in New Zealand. (Lucky I was, to be a child pupil at Nettleton-Edwards School of Ballet in Auckland where Russell became a partner. I continue to learn from him to this day).

Make no mistake—Russell would become the lion, and June the lioness, of ballet in this country when they moved to Wellington in 1962 and he became director of New Zealand Ballet. (Poul and Rigmor Gnatt had been the pioneering tiger and tigress who preceded them, since 1953). With unstinting loyalty, Kerr delivered pedigree standards of heritage repertoire (Swan Lake, Petrouchka, Prince Igor, Schéhérazade, Coppélia, Nutcracker, and much more), to put New Zealand firmly on the world ballet map. His own choreographic output was enormously prolific and gave the Company some of its greatest hits—Prismatic Variations, Carnival of the Animals, Peter Pan, A Christmas Carol, Terrible Tom … it’s a very long list.

The spouse of such a driven choreographer is the supportive, attentive, unpaid and often invisible, kindest critic who stays calm and acts as a beacon when storms rage and finances plummet—or, in the Kerrs’ case, when Russell worked himself close to death to sustain the company endeavour, through to 1969. A disastrous fire that had destroyed almost all the Company’s resources in 1967 had not helped.

There were later periods directing Auckland Dance Centre, then the Kerrs moved to Christchurch which would remain their home until today. Southern Ballet Theatre was a highly enterprising initiative and for years productions were mounted there on a miniature scale but uncompromising in dance and music standards. There were numerous collaborations with composer, Philip Norman, and designer, Peter Lees-Jeffries, so Christchurch was well served in that time. No-one can remember how it was financed probably because there was no budget worth remembering.

June would accompany Russell to Wellington whenever he was engaged by Royal New Zealand Ballet to stage a production on the company. She was always so pleased to walk in the Botanical Gardens, to visit a gallery, or over a coffee to swap family news, always with the kindest interest and sweetest nature. ‘No I won’t have another coffee thanks. I’ll be meeting Russell for lunch in the rehearsal break so I’ll have one with him then.’ In later years the dear couple would still venture out together to a local café and continue their lifelong habit of people-watching in public places. ‘That’s where you learn about different characters—how they move, what they look like, you can guess much of their experiences from such things. It’s like research for choreography,’ Russell would say.

They were still holding hands when June died last week. The photos on the order of service show a fine-boned, wide-eyed, gorgeous redhead, gamine beauty, a shade reminiscent of Moira Shearer (the ballerina in the famed film, The Red Shoes ) Ballet in New Zealand owes much to the Kerr family.

In 1940, June, aged 8, was on the list of children to be repatriated out of war-time London to live out the duration of the war elsewhere, in her case on the SS City of Benares para o Canadá. For reasons never explained, her parents removed their daughter from the passenger list the day before it sailed, and just as well because the ship was torpedoed in mid-Atlantic.

June would later tell that story, and when asked ‘What happened to the 90 children on board?’ would answer ‘Oh, they were all saved’ and she went to her grave believing that to be so. In fact, 77 of the 90 children on board died, but it’s a reasonable guess June’s parents believed that an 8-year-old didn’t need to know that. It was a heart-stopping moment at the funeral to learn about what was probably the only ‘lie’ anyone ever told to this kind and trusting woman

June Kerr: Born South-end-on Sea, England, 12 June 1932 married Russell Kerr, 1 son, 1 daughter died Christchurch, New Zealand, 29 October 2018

A version of this obituary first appeared in The Dominion Post on 24 November 2018. Sources: Russell Kerr, David Kerr, Anne Rowse, Keith McEwing.

Jennifer Shennan, 25 November 2018

Featured image: June Greenhalgh & Russell Kerr in Prismatic Variations. Choreographed by Russell Kerr and Poul Gnatt designed by Raymond Boyce. New Zealand Ballet 1960. Photo: © John Ashton


Coach's Clipboard: How Golden State Warriors head coach Steve Kerr can get the most out of D'Angelo Russell

While the fit may seem complicated on the surface, there are a number of ways that Golden State's head coach can utilize the strengths of the team's newest All-Star to usher in a new era of Warriors basketball.

https://images.daznservices.com/di/library/NBA_Global_CMS_image_storage/a4/c3/gil_1otiazib746yg1xyqqyeknf7ks.jpg?t=1317724849&w=500 By Gilbert McGregor @GMcGregor21

Steve Kerr (NBA Canada Illustrations) https://images.daznservices.com/di/library/NBA_Global_CMS_image_storage/12/93/nba-coaches-clipboard-scott-kerrjpg_jecsrt06i5kn16p12r7r605g2.jpg?t=-1692737692&w=500

The 2019-20 NBA season will see the Golden State Warriors look much different than they have in years past.

Gone are Kevin Durant, Andre Iguodala and Shaun Livingston, as well as the more recent acquisitions of DeMarcus Cousins, Quinn Cook and Jordan Bell.

The torn ACL suffered by All-Star guard Klay Thompson in the Finals only makes matters worse, as he'll likely miss the better part of the regular season.

On opening night, Stephen Curry, Draymond Green and head coach Steve Kerr will be the biggest remaining constants from when the team's magical run began in 2014.

While it's hard to find positives in an offseason that saw so much talent leave, the Warriors softened the blow as best as they could by acquiring D'Angelo Russell in exchange for Durant, signing Willie Cauley-Stein, adding young talent through the draft and ensuring Thompson, Green and Kevon Looney would remain a part of the franchise's future with contract agreements.

https://images.daznservices.com/di/library/NBA_Global_CMS_image_storage/3e/5d/stephen-curry-dangelo-russell_krsq49zzqalu11i3k5qidny58.jpg?t=-1377327893&w=500

Still, Kerr will have his work cut out for him considering the number of changes abound. How can he bring it all together?

By many accounts, Kerr is a player's coach. In 2014, he inherited a 51-win team fresh off of a first-round loss and led them to a title in his first year as a head coach, the first of three titles in five straight Finals appearances. Having won five titles as a player under Phil Jackson and Gregg Popovich, Kerr has learned from the best on how to resonate with his players.

It should come as no surprise that Russell told Alex Kennedy of HoopsHype that he feels Kerr "brings out the best in his players and puts them in roles where they can [be themselves]. I'm really excited about that … He's a coach who allows you to do what you do best."

Last season - the best of Russell's young career - he showed plenty of what he does best, posting averages of 21.1 points, 7.0 assists and 3.9 rebounds over 81 games, but largely did so as a result of how ball-dominant he was.

Perhaps the most telling stat that illustrates how much Russell had the ball in his hands last season is his 11.4 possessions per game as the pick-and-roll ball handler - the second most in the league behind only Kemba Walker (11.8), per NBA.com Stats.

https://images.daznservices.com/di/library/NBA_Global_CMS_image_storage/c4/22/kemba-dangelo-022519-ftr-nba-getty_1g6co3ixo1b1ccv4squwtz42.jpg?t=632531361&w=500

Now, alongside Curry and Green, the situations in which Russell will get the ball are sure to change, a fact that he acknowledged in his interview with Kennedy.

"It's a situation where I can go in and not worry about being on-the-ball or off-ball or coming off the bench or whatever. I am just being a basketball player. If I have the ball in my hands, I'll make a play. If I don't, I'll try to get in position to make a play. I think that's what it comes down to.

That's where Kerr comes in.

When asked about the offseason addition of Russell, Kerr told reporters at USA Basketball Training Camp that "I think he's going to fit right in with our group and we're gonna need him desperately, without Klay especially … it's up to us to figure it out."

As the team's presumed starting shooting guard in Thompson's absence, it's fair to assume that Russell will be looked upon to replace his production on the offensive end, but can he do it in similar situations?

Per NBA.com Stats, Thompson led the league in scoring off of screens last season with 568 points while Russell scored just 47 points off screens for the entire year.

Russell has shown the capability to score off of screens, as he does below:

It just hasn't been a big part of his game to this point of his career.

Still, Kerr could still look to adjust things offensively for the Warriors to play more to their newest acquisition's strengths.

Last season, Stephen Curry averaged 5.1 possessions per game as the ball handler in pick-and-roll situations. Him running more of those could help unlock Russell as an off-ball threat. Over half of Russell's career-high 234 3-pointers last season were assisted, often coming in situations when he spaces out, as he does here:

To mirror this sequence with the Warriors, Kerr could increase the frequency with which we see Green as the roll or pop man after setting a screen for Curry or another ball-handler, as he's proven himself as one of the best playmaking forwards in the NBA.

Cauley-Stein was one of the most used ball screeners in the league last season and tied a career-high with 2.4 assists per game. While he shouldn't be expected to make plays in a manner similar to Green, an aggressive roll or dive from the 7-footer could command the attention of help defenders to free shooters like Russell for catch-and-shoot 3s, which he knocked down 39.4% of last season.

Still, what is perhaps the biggest looming question is what happens when Thompson returns from injury? Can Kerr institute a three-guard lineup with Curry, Russell and Thompson?

At 6-foot-5, Russell has enough size to play shooting guard while the 6-foot-7 Thompson can slide to the small forward position. During his time as a Net, Russell often shared the backcourt with prolific Brooklyn guard Spencer Dinwiddie.

Another encouraging sign for the fit? Last season, Brooklyn's deadeye shooter, Joe Harris, assisted Russell more than any other teammate, largely due to the gravity provided by his elite shooting ability.

As two of the greatest shooters of all-time, both Thompson and Curry command similar attention from defences, meaning tough decisions must be made on the perimeter. Russell could very well end up as the beneficiary, meaning he has the potential to again have a big season, albeit in a different manner than last.

History - and the tape - indicate that D'Angelo Russell's fit with the Golden State Warriors could keep them atop the West's elite. As "desperately" as Steve Kerr says they need him, it could all be as simple as Russell's deviation from ball dominance and Kerr adding wrinkles to the offence that allow him to be the beneficiary of the attention the other Warriors command.

Kerr has almost seamlessly incorporated talent in years past, and this time should be no different.


On 15 November 1983 he was found dead in his car in Twickenham he was believed to have suffered a stroke. He was aged 62.



Informações a partir de: 13.07.2020 12:17:19 CEST

Mudanças: Todas as imagens e a maioria dos elementos de design relacionados a elas foram removidos. Alguns ícones foram substituídos por FontAwesome-Icons. Alguns modelos foram removidos (como “o artigo precisa de expansão) ou atribuídos (como“ notas de hachura ”). As classes CSS foram removidas ou harmonizadas.
Links específicos da Wikipedia que não levam a um artigo ou categoria (como “Redlinks”, “links para a página de edição”, “links para portais”) foram removidos. Cada link externo possui um FontAwesome-Icon adicional. Além de algumas pequenas mudanças de design, contêiner de mídia, mapas, caixas de navegação, versões faladas e geoformatos foram removidos.