Em formação

West Ham United: Fergus Hunt


Nascer: Masborough (1875)

Assinado: 1900 (Woolwich Arsenal)

Posição: Ala direita

Aparências: 48

Metas: 10

Deixou: 1902 (enterrar)

Limites Internacionais:

Faleceu:

Fergus Hunt começou sua carreira em Mexborough antes de jogar pelo Middlesbrough Ironopolis e pelo Darwin, onde marcou 27 gols em 57 jogos do campeonato. Em 1897, Hunt ingressou no Woolwich Arsenal e foi o artilheiro do clube nas duas temporadas seguintes. Em 1900, Arnold Hills decidiu trazer alguns jogadores experientes para seu novo lado do West Ham. O clube fez várias novas contratações naquele ano, incluindo Fergus Hunt, Hugh Monteith (Bristol City) Freddie Fenton (Gainsborough), George Radcliffe (Grimsby Town), James Reid (Port Vale), Albert Kaye (Chatham) e Billy Grassam (Port Vale) . No entanto, Hunt só conseguiu marcar 3 gols em 27 jogos do campeonato naquela temporada. Na temporada 1901-1902 sua forma foi um pouco melhor e embora ele só tenha jogado em 15 jogos, ele marcou seis gols. Hunt voltou ao Woolwich Arsenal em 1902, mas não conseguiu recuperar suas performances anteriores. Fergus Hunt também jogou pelo Fulham e pelo Burton United no final de sua carreira.


Mais recentes Opinião

Em 2004, os leitores do KUMB.com votaram em seus melhores momentos do West Ham.

Passados ​​vários anos desde então - durante os quais assistimos a uma série de ocasiões, jogos e golos memoráveis ​​- decidimos revisitar a lista - uma segunda vez (a primeira foi em 2011) - a fim de incluir alguns eventos mais recentes .

Devido ao grande tamanho, iremos dividir nossa contagem regressiva em dez partes, aqui segue a parte nove - que são as entradas de 20 a 11. Observe que o número entre colchetes representa a posição anterior da entrada em nossa lista.

Fazia 83 anos desde que o West Ham perdera uma final da FA Cup. Desde a derrota por 2 a 0 para o Bolton em 1923, os Hammers superaram Blackburn, Preston, Fulham e Arsenal para erguer a Copa à sombra das Torres Gêmeas. No entanto, todos esses jogos aconteceram em Wembley - ao contrário da final de 2006 entre West Ham e Liverpool, que estava sendo encenada no Millennium Stadium de Cardiff, já que o antigo Empire Stadium havia sido reduzido a escombros para ser substituído por um novo estado de -o local de arte.

O West Ham, apenas promovido do campeonato pelos play-offs na temporada anterior, havia derrotado Norwich, Blackburn, Bolton, Manchester City e Middlesbrough a caminho de Cardiff, onde jogariam pela terceira temporada consecutiva.

Grande azarão naquele dia, a equipe de Alan Pardew venceu por 2 a 0 em meia hora com um gol contra Jamie Carragher e outro de Dean Ashton, depois que Reina desajeitou e colocou a equipe de Alan Pardew no comando total. No entanto, a vantagem de dois golos durou apenas quatro minutos, com Djibril Cisse a reduzir para o Liverpool, que foi assim até ao intervalo.

Quando Steven Gerrard empatou para os favoritos aos 54 minutos, a maioria dos fiéis do Hammers concordou que tínhamos perdido a chance - isso foi até o cruzamento de Paul Konchesky passar por cima da cabeça de Pepe Reina chocada para o fundo da rede e colocar o United de volta na frente com 64 minutos no relógio.

O West Ham estava a menos de um minuto de ganhar a Copa quando Gerrard acertou em cheio sua segunda tacada de cerca de 30 metros. Muitos ainda culpam Lionel Scaloni pelo mau afastamento que levou ao gol. Foi assim que durou a prorrogação - o lesionado Marlon Harewood pode ter vencido pelos Hammers se tivesse conseguido acertar o cruzamento de Yossi Benayoun - e o Liverpool venceu na disputa de pênaltis que se seguiu. O jogo é amplamente considerado uma das melhores finais da FA Cup na história da competição.

Houve alguns desempenhos de arbitragem notoriamente terríveis nos jogos do West Ham ao longo dos anos, mas nenhum jamais se igualará aos esforços ineptos de um certo Keith Hackett, que foi encarregado de supervisionar a semifinal da Copa da Inglaterra de 1991 da segunda divisão do United contra o Nottingham Forest da primeira divisão.

No meio do primeiro tempo, Gale - que recebeu apenas sete cartões amarelos em toda sua carreira profissional de 21 anos - tropeçou Gary Crosby de Forest em algum lugar perto da linha do meio enquanto o ala tentava estourar além da linha defensiva do West Ham - uma falta razoavelmente inócua no grande esquema das coisas.

No entanto, para a surpresa e espanto de Gale e de todos os outros embalados dentro de um Villa Park que estava explodindo, Hackett enfiou a mão no bolso antes de ver o cartão vermelho. Os protestos que se seguiram foram ignorados e em vão - e os Hammers foram deixados para jogar com apenas dez homens pelo resto da partida.

O fato de a equipe de Billy Bonds ter mantido o jogo sem gols até o intervalo foi a prova de sua coragem e empenho, embora sua sorte durasse apenas quatro minutos após o retorno das equipes para o segundo tempo. Crosby marcou o primeiro de quatro gols no segundo tempo enquanto o Forest ficava louco - o que não é surpresa, já que o adversário era de uma divisão inferior e saiu com uma desvantagem numérica - embora a verdadeira história do dia fosse emergir bem longe da área de jogo.

Depois de Stuart Pearce ter feito o 3-0 para Forest, a 20 minutos do fim, uma versão nada incomum de "Exército azul e clarete de Billy Bonds" começou a soar na extremidade do West Ham como fãs de Irons, renunciados a a inevitável derrota que se seguiria, começou a homenagear seus heróis. O único, porém, foi que essa explosão de canto em particular durou o resto da partida, o que deixou os comentaristas e os jornais dos dias seguintes elogiando os fãs dos Hammers por seu apoio implacável e barulhento - algo que nunca foi igualado no Reino Unido em os terraços até hoje.

Poucas pessoas vivas hoje terão o prazer de assistir Charlie Bicknell jogar pelo West Ham United. Mas seu nome será para sempre associado ao folclore do clube, pois ele foi o primeiro Hammer a erguer uma Copa em Wembley quando o West Ham derrotou o Blackburn Rovers na FA War Cup de 1940.

Com a FA Cup e o programa regular da Football League suspensos devido à Segunda Guerra Mundial, a Football Association substituiu a competição eliminatória pela Copa da Guerra. O caminho do West Ham para Wembley incluiu derrotas de Chelsea, Leicester City, Huddersfield Town, Birmingham City e Fulham e eles se alinharam contra os underdogs Rovers na frente de pouco mais de 42.000 espectadores (para um pontapé de saída às 18h30), muitos dos quais eram soldados se recuperando das feridas infligidas pelo conflito.

O único gol da partida veio do construtor de ambulâncias Sam Small, que aproveitou o chute de George Foreman, que foi disparado pelo goleiro Jim Barron aos 34 minutos. No final de uma disputa ferozmente disputada, Bicknall subiu os famosos trinta e nove degraus para reivindicar o troféu - e levaria mais 24 anos antes de Bobby Moore emular o zagueiro quando a equipe de Ron Greenwood derrotou Preston.

Pela segunda vez em 11 anos, os Hammers - desta vez sob a orientação de John Lyall - lutaram e lutaram para chegar à Final da Taça das Taças. Mas enquanto em 1965 o West Ham tinha aproveitado a vantagem de jogar em casa com a partida disputada em Wembley, desta vez foi o adversário do Anderlecht com a vantagem, já que a final foi disputada no Estádio Heysel da Bélgica - que mais tarde se tornou famoso como o local onde 39 torcedores da Juventus perderam vidas.

Diante de uma multidão de 58.000 partidários - que, no entanto, incluía vários milhares de Hammers que haviam feito a curta viagem de balsa pelo Canal da Mancha - o United assumiu a liderança por Patsy Holland. Depois de perder por 2-1, Keith Robson empatou com o West Ham antes de Robbie Rensenbrink fazer o 3-2 de pênalti.

Frankie van der Elst - que assinaria pelo Hammers seis anos depois - encerrou o jogo como uma disputa com o quarto gol a cinco minutos do final. Ainda assim, a maioria concordou que tinha sido uma aventura fantástica após as viagens à Finlândia, à antiga URSS, aos Países Baixos e à Alemanha - embora a viagem tenha acabado mal.

O West Ham vinha definhando na velha Segunda Divisão desde que foi rebaixado em 1932. Na época, havia pouco para sugerir que os Hammers mereciam estar em qualquer outro lugar, tendo passado apenas oito anos de sua existência jogando na primeira divisão do país durante o Década de 1920 e início dos anos 30 - embora tudo estivesse prestes a mudar.

O técnico Ted Fenton, no cargo desde 1950, tendo substituído Charlie Paynter, estava começando a ver os frutos de seu trabalho se materializarem depois que ele instigou o que representou a primeira academia juvenil de sucesso do clube. Embora os jovens de Fenton estivessem começando a impressionar em 1957 - uma aparição na final da FA Youth Cup, uma segunda vitória consecutiva na Southern Junior Junior Cup e um forte desempenho em competições continentais contribuíram para sua crescente reputação - foi devido a algumas importações que Fenton confiou para levar sua equipe a uma promoção inesperada em 1958.

John Dick e Vic Keeble se mudaram de Glasgow e Colchester (via Newcastle), respectivamente, mas ambos marcaram 40 gols para ajudar a levar o West Ham para a Divisão 1 em 1957/58 - com a ajuda de Billy Dare, de 30 anos (14 gols) e John Smith, menino de 18 anos, (11 gols).

Em 26 de abril de 1958, os Hammers de Fenton viajaram para Middlesbrough sabendo que a vitória garantiria um retorno à primeira divisão - embora Blackburn, Charlton e Liverpool estivessem em seus calcanhares. Diante de uma multidão de 30.000 pessoas, Keeble e Dick atacaram - assim como Malcolm Musgrove (um ex-esquadrão duro de Northumberland) - para dar ao West Ham uma vitória por 3-1 que não apenas garantiu ao clube a primeira divisão do futebol pela primeira vez desde a Segunda Guerra Mundial, mas também o primeiro troféu da Liga de Futebol do clube como Campeão da Segunda Divisão.

O falecimento do maior capitão da história da Inglaterra, Bobby Moore, com apenas 51 anos - uma vítima de câncer no intestino - chocou uma nação inteira. Quando sua morte criminosa foi anunciada no final de fevereiro de 1993, milhares de torcedores de futebol de todo o país fizeram uma peregrinação a Upton Park para depositar coroas, camisas de futebol, poemas e versos ou qualquer tipo de parafernália associada a Moore, na Inglaterra ou West Ham às portas do Boleyn Ground.

Era o tipo de cena comum hoje em dia, com o luto público sendo muito mais socialmente aceitável. Mas no início dos anos 1990, antes da morte em massa da princesa Diana, a resposta ao falecimento de Moore foi uma ocorrência extraordinária e única.

Green Street se transformou em um santuário para o West Ham e para o número seis da Inglaterra, cuja participação na vitória do país na Copa do Mundo de 1966 garantiu que ele permanecesse no coração de todo torcedor inglês. O primeiro jogo após sua morte, contra o Wolves, foi precedido pela colocação de uma enorme coroa de flores no círculo central pelos companheiros de equipe do Hammers vencedores da Copa do Mundo de Bobby, Geoff Hurst e Martin Peters. A camisa seis mais conhecida de Moore (ele costumava usar a camisa cinco durante seus primeiros anos) foi finalmente aposentada em 2008, após uma campanha de torcedores.

Era o amanhecer de uma nova era. O recém-profissional West Ham United ressuscitou das cinzas do Thames Ironworks FC, o clube de futebol fundado por Old Harrovian Arnold Hills cinco anos antes, em 1895.

O primeiro confronto do United na campanha de 1900/01 da Southern League First Division foi contra o Gravesend, uma partida disputada para 2.000 torcedores no Plaistow's Memorial Ground - um dos vários locais que o clube chamou de casa antes de finalmente se estabelecer no Boleyn Ground em 1904 - onde o clube permaneceria pelos próximos 112 anos.

O dia - 1º de setembro de 1900 - pertenceu a William Grassam, que marcou quatro dos sete gols do West Ham e, ao fazê-lo, tornou-se o primeiro jogador do clube a registrar um hat-trick. Também entraram em ação James Reid (com dois gols) - um escocês como Grassam, que também chegou ao United via Burslem Port V ale - e Fergus Hunt, nascido em Yorkshire. A vitória por 7-0 foi a maior vitória do clube na temporada - e uma que raramente foi superada desde então.

Apenas quatro dias antes do time de Alan Pardew enfrentar o Middlesbrough na semifinal da FA Cup em Villa Park, em 23 de abril de 2006, o West Ham United foi abalado pela notícia de que o lendário técnico John Lyall havia morrido após um ataque cardíaco.

O efervescente Lyall, que tinha apenas 66 anos, dirigiu o West Ham por 15 anos entre 1974 e 1989, tendo ingressado no clube pela primeira vez em 1955. Seu recorde - indiscutivelmente o mais bem-sucedido de qualquer técnico do Hammers na história - incluía dois FA Vitórias da copa, uma participação na final da Copa dos Vencedores das Copas e um terceiro lugar na primeira divisão, durante a temporada 1985/86, a melhor classificação do clube na primeira divisão de todos os tempos. Sua morte foi um golpe duplo para o clube que havia perdido o mentor de Lyall, Ron Greenwood, apenas dois meses antes.

O dia, portanto, prometia ser um evento emocionalmente carregado para o West Ham e seus apoiadores, mesmo antes de ser decidido que a partida seria precedida por um minuto de silêncio em homenagem a Lyall. Pardew, que nunca perde uma vaza, já havia declarado que sua equipe iria "homenagear a memória de John de maneira adequada" ao enfrentar 'Boro, acrescentando que os torcedores fariam o mesmo. O que foi exatamente o que aconteceu, embora ninguém pudesse imaginar a maneira como aconteceu.

Enquanto as duas equipes se alinhavam em torno do perímetro do círculo central à frente do silêncio planejado, um silêncio mortal surgiu em torno do solo. O árbitro Mike Riley apitou para anunciar o início da homenagem - mas depois de apenas alguns segundos, o silêncio foi quebrado por uma voz solitária do lado do West Ham. Corajoso, estúpido ou não, uma versão lenta e triste do "exército azul e clarete de Johnny Lyall" foi o refrão do indivíduo - e em segundos, quase todos os fãs do West Ham presentes juntaram-se para saudar seu ex-empresário.

O banco do West Ham se entreolhou sem saber bem o que responder e os torcedores do 'Boro, sem entender o que estava acontecendo, começaram a vaiar. Consequentemente, Riley soprou seu apito cerca de 20 segundos mais cedo. No entanto, isso não prejudicou o que foi a homenagem mais espontânea e sincera a Lyall que os torcedores do clube poderiam ter feito.

Suspeita-se que o amável Lyall teria se dado um sorriso irônico no que foi uma homenagem mais única e espetacular. Não há dúvida de que ele teria ficado encantado quando Marlon Harewood marcou o único gol do jogo que levou o West Ham à final pela primeira vez desde que o time de Lyall venceu o Arsenal em uma das maiores surpresas da competição, 26 anos antes.

Sete meses antes da final da Copa da Liga de 1981, os vencedores da FA Cup de John Lyall haviam sido derrotados por 1 a 0 pelo campeão da liga Liverpool no Charity Shield, embora a derrota tenha sido muito mais abrangente do que o placar sugeria. Um resultado semelhante era esperado quando o West Ham, voando alto no topo da Divisão 2, enfrentou os futuros vencedores da Taça dos Campeões em um dia ensolarado em Wembley, em meados de março.

Após 90 minutos profundamente decepcionantes, nos quais as duas equipes se cancelaram, o jogo finalmente ganhou vida com apenas três minutos do tempo extra restante. O chute de Alan Kennedy venceu Phil Parkes, mas apesar de um impedimento de Sammy Lee obstruir claramente a visão do goleiro, o árbitro Clive Thomas permitiu que o gol permanecesse (para a fúria de John Lyall que, fora do personagem, foi posteriormente sancionado por uma explosão pós-jogo em que ele criticava o polêmico oficial galês).

A maioria dentro de Wembley achava que o jogo havia acabado - mas o West Ham tinha outras idéias. A segundos do fim, o cabeceamento de Alvin Martin em direção ao gol resultou na defesa da temporada de Terry McDermott. Infelizmente para o Liverpool, McDermott era um jogador de campo, portanto Thomas não teve outra escolha a não ser apontar para a marca.

Wembley prendeu a respiração quando Ray Stewart, de 21 anos, caminhou em direção ao gol, antes de colocar seu chute de penalidade à direita de Ray Clemence e valer aos Second Civision Hammers de Lyall um replay inesperado em Villa Park. Infelizmente, o segundo empate foi demais para o West Ham, que perdeu por 2 a 1 naquela noite, apesar de ter assumido a liderança através de Paul Goddard.

A impetuosa semifinal da FA Cup em 1980, que viu o Everton terminar o jogo com apenas dez homens, depois que Brian Kidd viu o vermelho por ter feito a dupla contra Ray Stewart, terminou em um impasse após o pênalti do primeiro tempo de Kidd - sofrido por Alan Devonshire - ter sido cancelado por Stuart Equalizador tardio de Pearson em Villa Park.

Isso, combinado com o ataque tardio de Bryan Hamilton sendo anulado por Clive Thomas, significou que as duas equipes se encontrariam novamente em Elland Road quatro dias depois para o replay, com o suspenso Kidd substituído por Imre Varadi. Como costumava ser o caso na época, o time da segunda divisão de John Lyall era o azarão - com muitos comentaristas sendo de opinião que os Irons haviam perdido sua melhor chance de enfrentar o Arsenal na final por não ter conseguido eliminar os Merseysiders na primeira partida .

Ainda assim, com 90 minutos disputados - durante os quais Billy Bonds emergiu como uma espécie de colosso defensivo, tendo quase sozinho mantido os Hammers no empate com uma exibição maravilhosa - ainda não havia nada entre as duas equipes quando o replay entrou na prorrogação.

Com ambos os lados visivelmente enfraquecidos após a segunda reunião altamente carregada dentro de 96 horas, os erros eram inevitáveis ​​e quatro minutos após o reinício, Alan Devonshire aproveitou a frouxa defesa da oposição para colocar o West Ham à frente na noite e pela primeira vez vez em seis anos.

Um cruzamento profundo de Trevor Brooking na área do pênalti foi acenado de volta para o centro por David Cross, que jogaria um papel central em Wembley um mês depois. Do nada, o lateral-direito Frank Lampard - que havia ficado de pé após um ataque momentos antes - mergulhou para a frente para cabecear em direção ao gol. O goleiro do Toffee, Martin Hodge, parecia ter tudo sob controle, mas o cabeceamento de Lampard deu um único salto antes que a bola, quase em câmera lenta, saltasse sobre a linha antes de se aninhar no canto da rede.

Sem dúvida o mais importante dos 22 gols que marcou durante sua carreira de 674 jogos, Lampard correu em direção à bandeira do canto oposto antes de dançar uma dança alegre e improvisada ao virar da bandeira. A celebração gerou um famoso canto de terraço, cantado ao som de "White Christmas" de Bing Crosby - e Frank garantiu seu lugar no folclore do West Ham como resultado.

* Gostaria de compartilhar sua opinião sobre este artigo? Visite o Fórum KUMB para deixar um comentário.


Conteúdo

O West Ham United adquiriu o Boleyn Ground do clube local Boleyn Castle em 1904, após a fusão dos dois clubes. [3] O West Ham alugou a Green Street House e os terrenos em East Ham da Igreja Católica Romana por volta de 1912. [ citação necessária ] Green Street House era conhecida localmente como Castelo de Bolena por causa de sua natureza imponente e por uma associação com Ana Bolena, que havia ficado ou, como alguns acreditam, era dona da casa. Conseqüentemente, o solo ficou conhecido como Boleyn Ground. O terreno também foi frequentemente referido como Upton Park, em homenagem ao Upton Park, área de Londres onde está localizado.

Em agosto de 1944, uma bomba voadora V-1 caiu no canto sudoeste do campo. Isso forçou o West Ham a jogar suas partidas em outros campos enquanto os reparos eram feitos, mas não afetou o desempenho, já que o West Ham conseguiu nove vitórias consecutivas. Ao retornar ao solo em dezembro de 1944, eles perderam por 1 a 0 para o Tottenham Hotspur.

Em 1990, o West Ham foi obrigado a converter Upton Park em um estádio para todos os lugares para a temporada de 1994-95, a fim de cumprir os requisitos do Relatório Taylor. A primeira fase da remodelação veio em 1993, quando o South Bank foi substituído por uma arquibancada de dois andares com 9.000 lugares, nomeada em homenagem ao ex-capitão Bobby Moore, que havia morrido no início daquele ano. O estande incorporou caixas executivas e também um relógio digital. O Banco do Norte foi demolido em 1994 e um novo estande de dois níveis com 6.000 assentos, denominado "Estande do Centenário", foi inaugurado em seu local no ano seguinte, mais tarde renomeado como "Estande de Sir Trevor Brooking". O East Stand Lower também foi convertido em um stand para todos os lugares.

A mudança final veio em 2000, quando o West Stand foi substituído por um stand de dois níveis com 15.000 lugares, denominado "Dr. Martens Stand". O estande incorporou camarotes executivos em dois níveis, além do West Ham United Hotel. Isso deu ao estádio uma capacidade para 35.000 lugares.

Havia planos para aumentar a capacidade para aproximadamente 40.500 por meio da construção de uma nova arquibancada maior do leste, que teria usado o espaço livre criado quando a arquibancada da Doctor Martens foi construída mais a oeste do que a antiga arquibancada oeste. No entanto, esses planos nunca se concretizaram.

Decisão de demolir Edit

Ao longo de 2006, houve muita conversa sobre a mudança do West Ham para o Estádio Olímpico após os Jogos Olímpicos de 2012, com as especulações aumentando depois que o presidente do novo clube, Eggert Magnusson, confirmou que estava interessado em uma mudança para lá. [4] No entanto, as negociações foram interrompidas entre o clube e o Comitê Olímpico depois que foi anunciado que o estádio seria reduzido para 25.000 lugares para todos após os Jogos Olímpicos, o que era 10.000 a menos do que a capacidade do Boleyn Ground, e o estádio iria estar mantendo o ritmo, deixando os torcedores mais distantes do campo e afetando o ambiente dentro do estádio. Rumores sugeriam que o West Ham poderia se mudar para um novo estádio no depósito Parcelforce próximo à estação de metrô / linha principal do West Ham. De fato, em 7 de novembro de 2007, o prefeito de Londres Ken Livingstone anunciou que um novo local havia sido identificado para o novo estádio do West Ham. [5]

No entanto, em 2009, o CEO do clube, Scott Duxbury, anunciou que o West Ham obteve permissão de planejamento para expandir o East Stand, o que aumentaria a capacidade do estádio para mais de 40.000. [6]

Então, em 2010, os novos proprietários de clubes David Gold e David Sullivan anunciaram que o West Ham se mudaria para o Estádio Olímpico após as Olimpíadas de 2012, afinal. [7] Em 23 de março de 2010, o clube anunciou que estava trabalhando em uma licitação conjunta com o Newham London Borough Council para se mudar para o Estádio Olímpico. [8] Em 30 de setembro de 2010, o clube apresentou formalmente sua oferta para o Estádio Olímpico com uma apresentação no 10 Downing Street, [9] e a maior empresa de entretenimento ao vivo do mundo, Live Nation, endossou os planos do clube para o Estádio Olímpico em 8 de outubro de 2010. [ 10] Três dias após o endosso do Live Nation, o UK Athletics confirmou seu apoio formal ao West Ham United e ao Newham Council em sua tentativa conjunta de assumir o Estádio Olímpico no modo legado. [11] Em novembro de 2010, o West Ham iniciou uma busca por desenvolvedores em potencial para "discussões informais" sobre o que aconteceria com o solo se ocupasse o Estádio Olímpico após os Jogos de 2012. [12]

Em 11 de fevereiro de 2011, o Comitê de Legado do Parque Olímpico selecionou o West Ham como o clube preferido para entrar no Estádio Olímpico após os Jogos de 2012. A decisão, a favor da candidatura do West Ham, foi unânime. [13] Em 3 de março de 2011, a proposta de mudança do West Ham United para o Estádio Olímpico foi aprovada pelo governo britânico e pelo prefeito de Londres Boris Johnson, mas devido aos contínuos desafios legais ao acordo por Tottenham Hotspur e Leyton Orient, o acordo para vender o Olímpico O estádio do West Ham desabou em 11 de outubro de 2011, [14] o West Ham anunciou planos para se tornar inquilino do estádio [15] e em 22 de março de 2013, após meses de votação e negociações, o West Ham venceu a licitação do Estádio Olímpico. O West Ham recebeu uma oferta de aluguel de 99 anos e esperava se mudar para lá a tempo para a temporada 2016–17. [16]

Em fevereiro de 2014, o West Ham anunciou a venda do Boleyn Ground para a incorporadora Galliard Group, a ser efetivada assim que a mudança para o Estádio Olímpico fosse concluída.

O jogo final Editar

Quando os jogos da Premier League foram elaborados no início da temporada 2015–16 da Premier League, o Swansea City foi planejado para ser o último adversário do West Ham no Boleyn Ground, em 7 de maio de 2016. [17] No entanto, devido ao Manchester United envolvimento na FA Cup em 23 de abril, quando eles deveriam jogar contra o West Ham, o jogo foi reorganizado para 10 de maio de 2016. [18] bombardeados com mísseis resultando em janelas quebradas. Com o atraso do treinador, os jogadores demoraram a chegar ao terreno e o pontapé de saída previsto para as 19h45 foi transferido para as 20h15. [19]

Na 2.398ª partida disputada no campo, [20] com ambos os lados procurando se classificar para o futebol europeu na temporada 2016-17, diante de uma multidão de 34.907, o West Ham assumiu a liderança no décimo minuto por meio de Diafra Sakho, apenas para o Manchester United fazer o placar 1-2 com dois gols de Anthony Martial. No entanto, Michail Antonio empatou para o West Ham e Winston Reid marcou um terceiro no 80º minuto para fazer o 3-2, o placar final. [21] [22] Foi a 384ª partida do West Ham na Premier League no terreno, a vitória significando 601 pontos caseiros da Premier League conquistados lá. [22] Mark Noble foi nomeado o Homem do Jogo. [22] A partida foi seguida por uma exibição de 45 minutos no campo em celebração à história do solo. [22] No dia seguinte, o clube condenou a violência dirigida ao treinador do Manchester United, prometendo banir por toda a vida qualquer pessoa condenada. [19] Três pessoas foram presas na noite do jogo, duas por incursão em campo e uma por jogar uma garrafa na polícia. No dia seguinte, a Polícia Metropolitana divulgou fotos de quatro homens que eles esperavam identificar em conexão com o ataque do treinador. [23]

Edição de fechamento, demolição e redesenvolvimento

A venda do Terreno foi concluída em 15 de julho de 2016, a um preço de venda de £ 40.000.000. [24] Os planos do desenvolvedor incluem 838 novas casas, lojas e instalações de lazer que estarão disponíveis em 2018. A possibilidade de uma estátua de Bobby Moore e um jardim paisagístico com seu nome também foi revelada. Os planos causaram polêmica por incluir apenas 51 casas "acessíveis" e nenhuma habitação social. [25] [26] Em março de 2016, os planos foram aprovados para 800 casas a serem construídas no local, 25% das quais seriam habitações acessíveis. [27] Em 14 de março de 2016, o desmantelamento do terreno começou com a remoção dos portões John Lyall para transferência e reinstalação no Estádio Olímpico. [28] Em julho de 2016, os assentos foram removidos do solo e foram fechados com tábuas e entregues aos desenvolvedores para demolição e reconstrução. [29] Em agosto de 2016, a propriedade do site foi transferida para Barratt London. [30] Em setembro de 2016, o solo foi usado como um set de filmagem para o filme Pontuação final [31] e em 27 de setembro de 2016, sediou uma partida de caridade pouco antes do início da demolição. [32] 1.000 dos 1.400 tijolos comemorativos foram salvos por Jonjo Heuerman quando a parede em que estavam foi removida e estão disponíveis para serem reivindicados pelos fãs que pagaram por eles. As inscrições foram reproduzidas em um caminho no novo terreno. [33]


LUZES

Alisson Becker se tornou o primeiro goleiro na história do Liverpool Football Club a marcar um gol em uma partida competitiva, já que sua cabeçada impressionante ajudou os homens de Jurgen Klopp a vencer o West Ham United por 2 a 1 em um jogo crucial da Premier League.

Becker marcou um canto de Trent Alexander Arnold no quinto minuto do tempo de suspensão, quando o Liverpool recuperou de um gol para selar 3 pontos cruciais, enquanto a corrida pelos 4 primeiros colocados da Premier League leva a um final emocionante. '

O Liverpool está na 5ª posição com 63 pontos, 1 a menos que o 4º colocado Chelsea, após 36 jogos na temporada. Tottenham Hotspur, que derrotou o Wolverhampton Wanderers 2-0 no início do dia, agora estão 4 pontos atrás do Liverpool na 6ª posição.

1 - Em toda a história do Liverpool desde a sua fundação em 1892, Alisson é o primeiro goleiro a marcar um gol oficial pelo clube. Absurdo. pic.twitter.com/hpvwGB8fuJ

- OptaJoe (@OptaJoe) 16 de maio de 2021

O atacante Hal Robson-Kanu marcou em seu primeiro início na Premier League em três anos e meio para dar a vantagem ao West Brom, mas Mohamed Salah empatou para os visitantes empatarem com o atacante do Tottenham Hotspur, Harry Kane, com 22 gols na Premier League para a temporada.

Ambos os lados perderam oportunidades para aumentar sua pontuação, mas foi a incrível vitória de Alisson no final da partida que garantiu uma vitória preciosa para os visitantes.


Relatório fascinante revela a história interna de Frank Lampard & # x27s demitindo no Chelsea

Antonio Rudiger e Mateo Kovacic & # x27 foram diretamente para o quadro & # x27 para falar sobre Frank Lampard

O garoto prodígio da FIFA, Anders Vejrgang, elevou seu recorde de invencibilidade na FUT Champs para 450-0

Interessado em: Tottenham Hotspur

Fã do Spurs com uma longa história de nos ver engarrafar grandes oportunidades. Se um jogador for tocado na área, ele deve sempre cair.


Loan Watch: Vitórias para Olatunji Akinola e Xande Silva


Quatro vencedores do West Ham United disputaram seus times adotivos no fim de semana, com dois - Olatunji Akinola e Xande Silva - garantindo vitórias importantes para o seu lado.

Representando Leyton Orient, o zagueiro Akinola, de 22 anos, mais uma vez desempenhou um papel importante em manter um placar limpo para os O's na derrota do Barrow por 2 a 0 no Breyer Group Stadium.

A eliminação foi a 15ª em 29 partidas de Akinola na Liga Dois nesta temporada, com o versátil defensor revertendo para lateral-direito no revigorado time de Jobi McAnuff.

Pelo flanco, Akinola venceu três duelos aéreos e contribuiu com dois tackles bem-sucedidos, um apuramento, uma interceptação e um remate bloqueado, de acordo com o respeitado site de análises WhoScored.com.

Dan Kemp, formado pela Academia de Futebol, esteve envolvido nos dois gols do Leyton Orient no segundo tempo, realizando o cruzamento que acabou levando Dan Happe a fazer um gancho para o gol no início do segundo tempo, antes de ele mesmo fazer um chute rasteiro da entrada da área.

A vitória mantém Leyton Orient na busca por uma vaga no Play-Off, apenas um ponto atrás de Newport County na importante sétima colocação - embora tenha jogado um jogo a mais.

Também competindo nos escalões superiores da tabela de quarto nível estão Oladapo Afolayan e Bolton Wanderers, que sofreram um revés em suas esperanças de promoção automática ao derrotar por 2 a 1 em Grimsby Town na tarde de sábado.

Depois de ver a sua equipa ficar para trás devido ao golo de Jay Matete nos primeiros minutos, Afolayan não conseguiu concretizar algumas das meias-oportunidades que surgiram antes de ser substituído a 20 minutos do final.

Os Trotters perderam duas vezes nos minutos finais, quando Ira Jackson Jr acertou o alvo de perto, antes de Shaun Miller fazer um gol de consolação aos seis minutos dos acréscimos.

Ainda em terceiro lugar, o Bolton terá a oportunidade de se recuperar imediatamente quando receber o Carlisle United no University of Bolton Stadium, na terça-feira.

Na Super League Grécia, Xande Silva foi suplente tardio do Aris Thessaloniki FC, que garantiu três pontos valiosos fora de casa no terreno do Panathinaikos, com dez jogadores.

O ala de 24 anos entrou em conflito com sua equipe, que sofreu uma derrota significativa para o AEK Atenas no fim de semana anterior, depois de anular uma desvantagem do primeiro tempo contra um time do Panathinaikos que havia marcado no único chute da partida.

Dimitris Manos and Mateo Garcia had scored quickfire second-half goals to overturn that lead, with Silva coming on in the 86th minute to help his adopted team see out a win which restores them to second place in the Super League Greece table, with just six games left to play.

Elsewhere, Alfie Lewis added to his League of Ireland debut last week with another appearance off the bench for St Patrick’s Athletic, who drew 1-1 at Dundalk on Saturday.

The 21-year-old midfielder, who is set to stay with the Pats until the end of June, featured for the final five minutes, helping to see out a spell of heavy pressure to secure a point which keeps his side joint-top of the early-season table after five matches.

And in League Two, Aji Alese was an unused substitute for Cambridge United as the U’s maintained their top-of-the-table standing with a 1-0 win at Newport County’s Rodney Parade.

Fellow defender Gonçalo Cardoso also remained on the bench for FC Basel in their 5-0 Swiss Super League victory over Servette, a result which lifts the Portuguese’s adopted team into second place in their hunt for European qualification.


Mais recentes Opinião

Back in 2004, readers of KUMB.com voted for their greatest West Ham moments. With seven years having passed since - during which we've witnessed a number of memorable occasions, matches and goals - we decided to revisit the list in order to include some of these more recent events.

We'll be bringing you the full top 100 over the course of the next few weeks for now here's part three of our countdown - entries 80 to 71.

On a chilly November day in 1970 West Ham were entertaining Wolves in a Division One fixture. With the game barely minutes old a Bobby Moore headed clearance - described elsewhere as 'thunderous' - caught Welsh referee Gerrard Lewis squarely on the side of the noggin, knocking the unfortunate official out cold.

As the game continued around him, Moore noticed that Lewis was struggling to respond and immediately ran to the referee before calmly picking up his whistle and blowing it to bring the game to a halt, allowing medical assistants from both clubs to attend to the stricken Lewis. Having deployed the smelling salts, Moore checked with Lewis to see how we was before handing the official's whistle back to him upon which the game continued.

The two sides went on to play out an entertaining 3-3 draw referee Lewis - whose unfortunate accident was chuckled at by millions on Match of the Day that night - continued to officiate at the highest level for many years after - however it is for the Moore incident that he remains remembered today.

West Ham, struggling to recreate the form of the previous season went into this Today League Division One fixture with Watford just four places above the relegation zone and with just ten games of the season remaining. With game against Arsenal, Everton and Man Utd to follow a win was essential in order to give themselves a little breathing space. However with the game entering the last minute - and with neither side yet to score - a point appeared the likely outcome.

Left-back George Parris had been moved into midfield by John Lyall to allow for the debut of Scottish full-back Tommy McQueen. As the ball goes out of play Parris asks referee Ian Borrett (who famously responded to a complaint by former Crystal Palace manager Alan Smith with 'I'm having a crap game and nothing you say will change it') how long is left, to which the official replies 'a minute'. Fuelled by his newly-acquired knowledge, Parris picked up the ball 30 yards from goal, took aim and fired - sending the ball into Tony Coton's top corner to win the game - West Ham's first win since New Year's Day and one that inspired them to a 3-1 victory over Arsenal 10 days later.

Liam Brady was quite simply a footballing genius. Whether at Arsenal, Juventus, Inter or, clearly the pinnacle of his career, at West Ham, he was a Messi of his day a European Maradona. The affable Irishman arrived in east London in 1987, aged 31, following a season with Italian side Ascoli and immediately became a crowd favourite - despite being part of the squad relegated in 1989. Having featured 89 times for the Irons he made his farewell appearance on a sunny May day in West Ham's final game of the 1989/90 campaign against Wolves.

With West Ham already three-nil to the good through goals from Keen, Morley and Robson, Brady delighted the home fans with an 88th minute trademark finish to secure a 4-0 win. A spontaneous pitch invasion ensued and referee Allison, having deemed the final two minutes of the game unnecessary, blew for time as Brady was raised aloft by jubilant fans.

Not for the last time in this list we turn our attention to international matters. In June 1984 an under-pressure England, fresh from a surprise 2-1 defeat in Switzerland travelled to Hungary for a World Cup qualifier in a tight group also also involving Romania and minnows Norway - who England are famously humbled by in Oslo in their next game. However on this occasion the Three Lions secure a 3-1 victory - a win best remembered for Trevor Brooking's second half strike.

Brooking had given England an encouraging lead after 16 minutes when he finished from a similar position to his goal at Wembley in the FA Cup Final a year earlier. However Ron Greenwood's side are pegged back just before the break. On the hour mark a slick move on the left flank saw the ball find Brooking, poised just outside the penalty box. The Hammers' midfielder struck the ball instantly, firing into the top left stanchion where the ball remained for all to see. It remains an iconic moment a wonderful example of the almost telepathic communication Brooking shared with Kevin Keegan - and his most famous international goal.

It was the dawn of a new era. A newly-professional West Ham United had risen from the ashes of the disbanded Thames Ironworks FC, the works football club established by Old Harrovian Arnold Hills five years earlier in 1895. United's first fixture in the 1900/01 Southern League First Division campaign was against Gravesend, a game played in front of 2,000 supporters at Plaistow's Memorial Ground - one of a number of venues the club called home before finally settling at the Boleyn Ground in 1904.

The day - 1st September 1900 - belonged to William Grassam, who scored four of West Ham's seven goals and in doing so, became the club's first player to record a hat-trick. Also getting in on the act were James Reid (2) - a Scot like Grassam who also arrived at United via Burslem Port Vale - and Yorkshire-born Fergus Hunt. The 7-0 win was the club's biggest win of the season - and one that has rarely been beaten in the 111 years since.

April 2003: West Ham had been rocked by the news that manager Glenn Roeder was in a critical condition having collapsed after the narrow 1-0 home win against Middlesbrough that kept United's faint hopes of avoiding relegation alive. The club needed someone who could galvanise the players and the fans for the final three games of the season - at which point the much-maligned Terry Brown made one of the smartest decisions of his tenure.

Club legend Trevor Brooking, then in an advisory role at the club was installed as temporary manager to the delight of supporters. A tough trip to Manchester City was the first test for Brooking and his new charges, but carried along on a wave of newly-found hope and optimism his team snatched a vital three points thanks to Freddie Kanoute's 81st minute winner - a goal scored directly in front of the delirious travelling West Ham fans. The great escape was on.

When West Ham faced Wolves at the Boleyn on 6th March 1993 it was more than a week since West Ham's favourite son had passed away. The previous weekend had seen a minute's silence observed across the country - yet none more impeccably than at Roker Park, where West Ham played out a half-hearted 0-0 draw with Sunderland. But it was the following weekend that gave the club and its supporters the first chance to join together in grief at Moore's passing.

Both Green Street and the Boleyn Ground itself were awash with wreaths, memorials, replica kits and all sorts of other pieces of memorabilia depicting the great man left by football fans from around the world. It truly was a sight to behold. The game was preceeded by Moore's fellow World Cup-winning Hammers Martin Peters and Geoff Hurst laying a huge wreath, with a number 6 at it's centre-point, on the centre circle. Goals from Morley (who wore a number 12 shirt instead of 6), Dicks and Holmes cement a fitting result.

Tipped for the drop by many and having dipped in and out of the relegation zone for much of the season it was a therefore a pleasant surprise when Harry Redknapp's side went into the final game of the 1994/95 campaign safe in 14th spot. But whilst Redknapp's team - minus injured talisman Julian Dicks - may have had little but pride to play for, opponents Manchester United needed a win - and for Blackburn to lose at Liverpool - to secure the Premiership title.

Michael Hughes threw a huge spanner in the works by giving West Ham a 31st minute lead much to the delight of the majority in the 24,783 crowd - an advantage Redknapp's side carried into the half time break. But with danger man Mark Hughes thrown into the mix at the interval the Mancunians were a different prospect - and it was no surprise when they pulled level through Brian McClair just seven minutes after the restart.

With news that Blackburn were behind at Anfield, Ferguson's side sniffed victory and a Championship - but Ludo Miklosko had other ideas. Time after time the big Czech 'keeper denied Man U even still, a second goal seemed inevitable due to the visitors' total domination of the game. When Andy Cole was presented with a gilt-edged opportunity with moments to go it looked like West Ham's staunch resistance had all been for nothing - until Miklosko pulled off a stunning close-range save that sent the title to Ewood Park, despite Rovers having been beaten By Man Utd's arch rivals.

Since being promoted from the old DIvision Two in 1959, West Ham had enjoyed a 19-year run in the top flight - a period which represented the club's golden era and included two FA Cup wins and two European finals. But having flirted with relegation for a number of years, the club's presence in the top flight was under serious threat as the Hammers went into the final game of the 1977/78 campaign still in the relegation zone.

In truth, John Lyall's side should have been relegated long before but a run of six wins in eight games had suddenly made the impossible tantalisingly possible. Division One runners up - and champions of Europe - Liverpool stood in their way, just to make a difficult task even more so. A good start from the home side offered a glimmer of hope but once Terry McDermott had given the visitors the lead - and David Fairclough had added a second 23 minutes from time - the game was all but up.

As the final whistle blew it was too much for Billy Bonds, West Ham's colossus, who wept openly as he trudged slowly, sadly, back to the changing rooms. Wolves' win against Aston Villa a few days later finally condemned West Ham to Division Two for the first time since the 1950s.

With West Ham bottom of League Division One and heading for relegation the 1988/89 FA Cup was a chance for brief respite from a punishing league campaign. But United's third round pairing with eventual league champions Arsenal looked too big an ask for John Lyall's men, who at least had home advantage to draw comfort from.

The first tie, broadcast live by ITV ended in a 2-2 draw. West Ham had held a two goal advantage before capitulating (sound familiar?) and in the end, were forced to hang on for a replay. Given the difference in quality during the second half of the first tie, few gave Lyall's men a chance in the Highbury replay - but as history has proved time after time, it is in these situations that West Ham are at their most dangerous and having held Arsenal's previously free-scoring strikers at bay for 77 minutes, Leroy Rosenior bagged one with his head to send the Irons into the fourth round.

* Like to share your thoughts on this article? Please visit the KUMB Forum to leave a comment.


FERGUSON Genealogy

WikiTree é uma comunidade de genealogistas que desenvolve uma árvore genealógica colaborativa cada vez mais precisa que é 100% gratuita para todos para sempre. Por favor junte-se a nós.

Please join us in collaborating on FERGUSON family trees. Precisamos da ajuda de bons genealogistas para cultivar um completamente grátis árvore genealógica compartilhada para conectar todos nós.

AVISO DE PRIVACIDADE IMPORTANTE E ISENÇÃO DE RESPONSABILIDADE: VOCÊ TEM A RESPONSABILIDADE DE USAR CUIDADO AO DISTRIBUIR INFORMAÇÕES PRIVADAS. A WIKITREE PROTEGE AS INFORMAÇÕES MAIS SENSÍVEIS, MAS SOMENTE NA EXTENSÃO INDICADA NO TERMOS DE SERVIÇO E POLÍTICA DE PRIVACIDADE.


COMMENTS

Leia a seguir:

Download our app

Top Features:

  • 5x faster loading of articles
  • In-flight/offline reading
  • Swipe between articles & photos
  • Live-scores from rugby and football matches

Sobre nós

Siga-nos

Correções

Policies

TheJournal.ie supports the work of the Press Council of Ireland and the Office of the Press Ombudsman, and our staff operate within the Code of Practice. You can obtain a copy of the Code, or contact the Council, at www.presscouncil.ie, PH: (01) 6489130, Lo-Call 1890 208 080 or email: [email protected]

Please note that TheJournal.ie uses cookies to improve your experience and to provide services and advertising. For more information on cookies please refer to our cookies policy.

News images provided by Press Association and Photocall Ireland unless otherwise stated. Irish sport images provided by Inpho Photography unless otherwise stated. Wire service provided by Associated Press.

Journal Media does not control and is not responsible for user created content, posts, comments, submissions or preferences. Users are reminded that they are fully responsible for their own created content and their own posts, comments and submissions and fully and effectively warrant and indemnify Journal Media in relation to such content and their ability to make such content, posts, comments and submissions available. Journal Media does not control and is not responsible for the content of external websites.


West Ham fans sound right up for Celtic pre-season clash

Celtic v West Ham United might be entirely low-stakes, but try telling each club’s supporters.

Against the likes of Liverpool, Manchester United and Manchester City, Celtic have enjoyed some fantastic nights. While a pre-season friendly may hold far less allure, it’s still a mouth-watering clash. The Frank McAvennie Derby, the David Moyes Invitational, the Albian Ajeti Rivalry, call it what you will.

And the excitement doesn’t just extend to supporters. Celtic’s own Jodie Bartle has claimed she’ll be there with bells on, having grown up as a Hammer supporter.

Subscribe to 67 Hail Hail TV now

Obviously, we’re not quite sure of how many supporters will be let in. Certainly, there’ll be fewer than when Celtic took on the Hammers for Bobby Moore’s testimonial in 1970 [WHUFC]. Billy McNeill, our greatest ever captain, took on the one man who could say the same for West Ham, in a truly iconic England v Scotland clash.

According to West Ham United’s official recollection of the testimonial [WHUFC]:

“Seven of the legendary Lisbon Lions were in Jock Stein’s side at the Boleyn Ground, including goalscorer Tommy Gemmell, captain Billy McNeill and the winger Jimmy ‘Jinky’ Johnstone.

Want to join the discussion?

Join the 67 Hail Hail Forum now and have your say

“On the other side, Ron Greenwood blended Hammers heroes like Moore, Geoff Hurst, Frank Lampard and Clyde Best with newer faces in full-back John McDowell, Moore’s new central defensive partner Tommy Taylor and 17-year-old winger Johnny Ayris.”

Frank McAvennie will be signing ballads at half-time. / (Photo by Jack Taylor/Getty Images)

West Ham United supporters seem very keen on Celtic meeting

Having been officially announced by West Ham earlier today, the response was rapid. Supporters of both sides were excited by the prospect.

Absolutely brilliant taking the Boss home for a friendly! Great history between the two clubs we have shared some outstanding players in the past. This will be a terrific day ⚒

— Mary (@ZaynafamilyMary) May 25, 2021

Looking forward to this match

— Erion Stringa⚒ (@ErionStringa) May 25, 2021

At least we chose the biggest club in Scotland to play against

— Callum (@Copysnot526th) May 25, 2021


Assista o vídeo: WISSA INJURY TIME WINNER. West Ham 1-2 Brentford. Premier League Highlights (Janeiro 2022).