Em formação

História de Norwalk, Connecticut


Norwalk é uma cidade no condado de Fairfield, 42 milhas a nordeste da cidade de Nova York, em Long Island Sound, na foz do rio Norwalk. Em 1640, Roger Ludlow e Daniel Patrick compraram o terreno de Norwalk dos índios. Os primeiros colonos chegaram de Hartford em 1649 e a cidade foi incorporada em 1651. A cidade foi formada em 1913 quando Norwalk e South Norwalk se consolidaram. Norwalk foi queimada pelos britânicos sob o governador William Tryon de Nova York em 12 de julho de 1779. Foi de Norwalk que Nathan Hale partiu em sua missão de espionagem fatal para Nova York. O Hospital Norwalk, fundado em 1892, é afiliado à Escola de Medicina de Yale. O Stepping Stone Museum for Children foi projetado para crianças de 1 a 10. A cultura popular deve muito a Norwalk. O cartunista Hank Ketcham, criador do desenho animado "Dennis the Menace", nasceu em Norwalk em 1920. O Museu de Norwalk foi fundamental para que Raggedy Ann fosse incluída no National Toy Hall of Fame. O Aquário Marítimo oferece um vislumbre da vida marinha e da cultura marítima de Long Island Sound.Norwalk possui cerca de 1.000 acres de praias, parques e áreas de recreação, sendo Calf Pasture Park e Cranbury Park os maiores.


Livro de fotografias históricas de Norwalk planejadas

Um livro de história, composto principalmente de fotografias e ilustrações antigas, está sendo planejado para Norwalk por Dorothy Mobilia, escritora e ex-presidente da Comissão de Zoneamento da cidade.

O livro cobriria o período de 1651 a 1913, disse ela. A Mobilia está procurando por fotos ou outras ilustrações desse período em número suficiente para realizar o projeto.

“Procuro famílias e outras pessoas que tenham coleções particulares [de fotos ou outras ilustrações] e que possam permitir o uso das imagens”, disse ela. "Algumas famílias ainda têm fotos que não deram a museus."


Genealogia de Norwalk (em Fairfield County, CT)

NOTA: Registros adicionais que se aplicam a Norwalk também são encontrados nas páginas de Fairfield County e Connecticut.

Norwalk Birth Records

Norwalk Cemetery Records

Beth Israel (Sociedade Hebraica Bet Israel) Cemitério bilhões de túmulos

Cemitério de East Norwalk bilhões de túmulos

Cemitério Hebraico Independente / Templo de Shalom Bilhões de Túmulos

Cemitério de Mill Hill bilhões de túmulos

Cemitério São João Bilhões de Túmulos

Cemitério de São Paulo bilhões de túmulos

Cemitério do Templo de Israel bilhões de túmulos

Union Cemetery bilhões de túmulos

Registros do censo de Norwalk

Censo Federal dos Estados Unidos, Pesquisa Familiar 1790-1940

Norwalk Church Records

Diretórios da cidade de Norwalk

White Pages and Yellow Pages, Norwalk, fevereiro de 1958 a fevereiro de 1959 Biblioteca do Congresso

White Pages and Yellow Pages, Norwalk, janeiro de 1956 a março de 1957 Biblioteca do Congresso

White Pages and Yellow Pages, Norwalk, novembro de 1891 a junho de 1935 Biblioteca do Congresso

White Pages and Yellow Pages, Norwalk, novembro de 1936 a maio de 1941 Biblioteca do Congresso

White Pages and Yellow Pages, Norwalk, novembro de 1941 a setembro de 1944 Biblioteca do Congresso

White Pages and Yellow Pages, Norwalk, novembro de 1945 a setembro de 1951 Biblioteca do Congresso

White Pages and Yellow Pages, Norwalk, setembro de 1952 a fevereiro de 1955 Biblioteca do Congresso

Norwalk Death Records

Histórias e genealogias de Norwalk

Norwalk Immigration Records

Norwalk Land Records

Norwalk Map Records

Mapa de Norwalk, South Norwalk e East Norwalk, Connecticut, 1899 Biblioteca do Congresso

Sanborn Fire Insurance Map from Norwalk, Fairfield County, Connecticut, Janeiro de 1891 Biblioteca do Congresso

Mapa do seguro contra incêndio de Sanborn de Norwalk, Condado de Fairfield, Connecticut, Biblioteca do Congresso de setembro de 1896

Norwalk Marriage Records

Norwalk Military Records

Jornais e obituários de Norwalk

Connecticut Sunday Herald, 1972-1973 Arquivo de notícias do Google

Noite, 1895-1900 Arquivo de notícias do Google

Hora 07/03/2016 até o Banco de Genealogia Atual

Hour, 1952, 1968, 1971-2008 Arquivo do Google Notícias

Hour, The: Web Edition Articles 04/03/2017 to Current Genealogy Bank

Independent Republican 17/06/1802 a 04/06/1803 Genealogy Bank

Norwalk Citizen News 13/12/2002 a 11/11/2013 Banco de Genealogia

Norwalk Daily Voice 01/04/2010 ao Banco de Genealogia Atual

Norwalk Hour 01/02/1911 a 30/12/1915 Genealogy Bank

Norwalk Hour, 1901-1961, 1964-1971 Arquivo do Google Notícias

Norwalk Lifestyles 1993, 1995-1996 Arquivo de jornais em FindMyPast

Arquivo de jornais Norwalk News 1989-1993 em FindMyPast

Jornais offline para Norwalk

De acordo com o US Newspaper Directory, os seguintes jornais foram impressos, portanto, pode haver cópias em papel ou microfilme disponíveis. Para obter mais informações sobre como localizar jornais off-line, consulte nosso artigo sobre como localizar jornais off-line.

Apollo americano. (Norwalk, Connecticut) 1801-1802

Líder Cidadão. (Norwalk e South Norwalk, Connecticut) 1880-1880

Daily Norwalk Gazette e Saturday's Norwalk Record. (Norwalk, Connecticut) 1890-1890s

Democrata. (Norwalk, Connecticut) 1877-1880s

Estrela democrática. (Norwalk, Connecticut) 1834-1830s

Hora da noite. (Norwalk, Ct) 1895-1900

Fairfield County Democrat. (Norwlk, Conn.) 1851-1840s

Companheiro de casa. (Norwalk, Connecticut) 1870s-1870s

Hora. (Norwalk, Connecticut) 1971 - Atual

Republicano Independente. (Norwalk, Connecticut) 1802-1803

Norwalk Democrat. (Norwalk, Connecticut) 1880-1880

Norwalk Eagle. (Norwalk, Connecticut) 1876-1870s

Norwalk Gazette. (Norwalk, Connecticut) 1818-1883

Norwalk Hour e The Westport Advertiser. (Norwalk, Connecticut) 1870s-1887

Hora de Norwalk. (Norwalk, Connecticut) 1887-1920

Hora de Norwalk. (Norwalk, Connecticut) 1900-1971

Norwalk Record. (Norwalk, Connecticut) 1887-1890

Norwalk Probate Records

Registros Antecipados de Probate de Connecticut (antes de 1750) American Ancestors

Registros de sucessões de Fairfield County, Connecticut, 1704-1757 American Ancestors

Norwalk School Records

Adições ou correções a esta página? Agradecemos suas sugestões por meio de nossa página de contato


História de Norwalk, Connecticut - História

A ostra oriental (Crassostrea virginica), designado como marisco do estado em 1989, é um molusco bivalve que cresce naturalmente nos rios e baías costeiras de Connecticut e é cultivado em canteiros de sementes em Long Island Sound por criadores de ostras. As ostras, por muito tempo uma fonte de alimento favorita e confiável dos povos nativos da região, também se tornaram um alimento básico da dieta dos primeiros colonizadores europeus, que rapidamente aprenderam a cultivar e colher ostras no estreito de Long Island.

Ostra precoce leva a leis de pesca

Durante o período colonial, muitos pescadores de Connecticut começaram a concentrar seu trabalho exclusivamente na coleta de ostras selvagens ou naturais. Essa atividade provocou o esgotamento dos leitos naturais e ameaçou a existência da espécie nas águas locais. No início do século 18, surgiram as primeiras leis coloniais que regulamentavam a captura de ostras nas águas de Connecticut, e alguns dos primeiros registros da cidade (em Stonington e Groton, por exemplo) relacionam-se à separação e designação de áreas de ostras parceladas individualmente.

Por volta de 1750, a Assembleia Geral votou para permitir que as cidades costeiras promulgassem estatutos que regulassem a pesca de moluscos nas águas adjacentes de cada cidade. Em 1762, uma lei aprovada em uma reunião da cidade de New Haven proibia a ostra durante os meses de desova, de maio a agosto, para permitir que as ostras amadurecessem e se reproduzissem. Em 1766, o uso de “draggs” (dragas de raspagem de fundo) foi proibido para proteger ainda mais os leitos naturais.

Demanda por marisco cria necessidade de importação

Infelizmente, as leis destinadas a proteger os leitos não conseguiram impedir a pesca excessiva no sul de Connecticut. Antes que o cultivo de ostras começasse nas águas locais, a escassez de "cultivadores naturais" levou alguns homens-ostras a comprar sua "pesca" em Nova York, na Baía de Delaware e na Baía de Chesapeake. Como John M. Kochiss observa em Ostra de Nova York para Boston (1974), “o comércio de ostras de Chesapeake ... estava confinado em Connecticut quase exclusivamente a New Haven, onde as maiores lojas de ostras estavam localizadas”.

Na verdade, conforme relatado por Ernest Ingersoll em seu volume de 1881, A Indústria de Ostras: Décimo Censo dos Estados Unidos, 250 escunas importaram 2 milhões de alqueires de ostras para as lojas de ostras Fair Haven de New Haven em 1858. Essas ostras de Fair Haven foram então enviadas para o interior, para cidades como St. Louis e Chicago. Na década de 1890, a maior frota de navios a vapor de ostras do mundo operava em Connecticut.

Os ostras de Connecticut aprendem a cultivar

Uma casa de ostras na costa de New Haven, 1872 & # 8211 Mystic Seaport e Connecticut History Illustrated

Os registros da cidade dos primeiros colonos em Groton indicam que alguns homens-ostras fizeram experiências com o cultivo. Os homens-ostras de Groton entortavam os galhos na água para atrair as larvas da ostra, que então se "fixavam" nos galhos e atingiam um tamanho comestível. Em sua maior parte, entretanto, o cultivo de canteiros de ostras era desconhecido nos Estados Unidos até a década de 1820, quando a criação de canteiros artificiais começou para valer. Os ostras de Connecticut coletaram as larvas de ostras que nadavam livremente, plantaram-nas em canteiros artificialmente criados de conchas de ostra e criaram-nas até a maturidade. No final do século 19, o cultivo de ostras no estado havia se desenvolvido em uma grande indústria.

Nos anos 1800, a ostra cresceu muito em New Haven, Bridgeport e Norwalk e conquistou um sucesso modesto em outras cidades ao longo da costa de Connecticut. Em meados do século 19, Connecticut liderou a produção de sementes de ostra ao norte de Nova Jersey. Famosas como ostras robustas e selecionadas de tamanho consistente, com conchas profundamente em concha e carnes gordas com um sabor salgado, as ostras Bluepoint, Saddle Rock e Great White de Long Island Sound eram conhecidas em toda parte. Em 1911, a produção de ostras de Connecticut atingiu seu pico com quase 25 milhões de libras de carne de ostra - muito mais alta do que os produtores de Nova York, Rhode Island e Massachusetts.

Ameaças à ostra e à indústria de ostras no século 20

Escuna em frente à Radel Oyster Co., South Norwalk, início dos anos 1900 & # 8211 Mystic Seaport e Connecticut History Illustrated

Aumentos na população humana costeira, industrialização, poluição e tráfego marinho, bem como a sobrepesca contínua, ameaçaram os bancos de ostras de Connecticut após 1920, com a produção caindo drasticamente após 1950. Predação por criaturas como brocas de ostra (um caracol), tambor preto ( um peixe), caranguejos e estrelas do mar diminuíram a produção, assim como a destruição de leitos por fortes tempestades, aumento da quantidade de sedimentos e dragagem de canais.

A demanda do mercado por ostras de 1890 a 1940 também vacilou devido à depressão econômica e porque os consumidores descobriram que as ostras podem conter patógenos. No final do século 20, um aumento na temperatura da água e a proliferação resultante de parasitas que ocorrem naturalmente destruíram 80-90% das ostras do estado, particularmente em 1997 e 1998.

Oyster Ground em New Haven Harbor, da State Shell Fish Commission, 1949 & # 8211 Mystic Seaport and Connecticut History Online

Aquicultura e o retorno da ostra

Hoje, os biólogos marinhos estão criando ostras resistentes a parasitas mais resistentes. A aquicultura de Connecticut - o cultivo de plantas e animais aquáticos - inclui operações renovadas de cultivo de ostras em arrendamentos subaquáticos em Long Island Sound. No início do século 21, a aquicultura se tornou uma das indústrias agrícolas de crescimento mais rápido do país e, para Connecticut, a criação de ostras era responsável pela liderança na produção de aquicultura no Nordeste.

No processo de cultivo de ostras, ostras muito jovens são desovadas em um incubatório terrestre ou offshore, movidas para um sistema de viveiro de doca flutuante protegido no fundo, onde as ostras de sementes crescem em sacos de malha ou gaiolas e, em seguida, devolvidas à limpeza artificial - camas de concha para a conclusão de seu crescimento em ostras de tamanho de mercado. Esses canteiros artificiais de ostras têm os mesmos benefícios ambientais que os canteiros naturais, e as ostras que crescem sob essas técnicas geralmente atingem um tamanho maior, têm carnes mais carnudas e são mais bem formadas do que as ostras “naturais”. Entre os leitos ativamente gerenciados na costa de Connecticut estão os da área Mystic, New Haven, Bridgeport e Norwalk.

No século 21, a indústria de ostras de Connecticut & # 8217s está passando por um renascimento lento, mas constante. No ano de 2008, por exemplo, mais de 160.000 sacos de 100 contagens de ostras cultivadas em Connecticut, valendo bem mais de US $ 6 milhões, foram comercializados em todo o país. Conhecidas por sua qualidade e sabor, as ostras de Connecticut, restauradas pela natureza e por uma regulamentação cuidadosa e técnicas avançadas de aquicultura, parecem destinadas a uma importância econômica contínua.

Doe Boyle, uma Artista Mestre em Ensino do Escritório de Artes de Connecticut em escrita criativa e expositiva, é editora, escritora freelance amplamente publicada e autora de 11 livros infantis e 2 guias de viagem para Connecticut, seu estado natal.


Bem-vindo à Sala de História de Norwalk!

The Norwalk Public Library History contém material de arquivo relacionado à história de Norwalk, Connecticut. A Sala de História foi formada em 2013 combinando os arquivos do então recentemente fechado Museu de Norwalk com a Coleção de História Local da Biblioteca Púbica de Norwalk. A missão da Sala de História é preservar este arquivo, disponibilizar os materiais ao público e promover o conhecimento e a valorização da longa história e do rico patrimônio cultural da cidade de Norwalk.
A coleção contém livros, manuscritos, fotografias, diretórios de cidades, anuários, jornais e outros materiais documentais relacionados à história de Norwalk, desde sua liquidação em 1651 até os dias atuais.

Usando a sala de história

Telefone: (203) 899-2780 x 15125 e-mail: [email protected]
A equipe da Sala de História ajudará com os pedidos de informações que podem ser feitos por telefone, e-mail, correio, ou preencher nosso
formulário de solicitação de pesquisa.

A equipe pode fotocopiar materiais de arquivo para os usuários. Câmeras digitais também podem ser usadas para copiar materiais.

Materiais da sala de história de Norwalk disponíveis online

Arquivo Digital de Connecticut
Este arquivo estadual contém materiais digitalizados carregados da coleção da Sala de História. O mais notável é o totalmente digitalizado Norwalk Gazette, Norwalk Gazette do século 19 de Norwalk de 5/6 / 1818-4 / 24/1883, e o mapa da cidade de Norwalk 1851. Todos os itens digitais estão disponíveis para download. Um formato TIFF do mapa de Norwalk está disponível na Norwalk History Room. Temos planos para o eventual upload do South Norwalk Sentinel, dois outros mapas de nossa coleção (1858 e 1880) e o South Norwalk Sentinel. Visite nossa coleção e todas as outras coleções maravilhosas de nosso estado. O CTDA agora faz parte do Biblioteca Pública Digital da América, um consórcio de arquivos de bibliotecas e museus que permite que os arquivos de todos os seus membros estejam disponíveis ao público.

NewsBank - Hora histórica de Norwalk
O NewsBank está em processo de adicionar os primeiros anos da Hora de Norwalk, em forma pesquisável, à sua coleção de bancos de dados de jornais. o Hora Semanal de 1874 a 1921 e o Hora Diária de 1895 a 1955 agora estão online e as décadas posteriores serão adicionadas em breve.

Banco de dados online da sala de história da biblioteca de Norwalk
Este é o banco de dados da Sala de História com suas fotografias e documentos. Até agora, o banco de dados contém centenas de imagens de cartões postais do início de Norwalk, mas isso é apenas uma fração da coleção da Sala de História. A Sala de História continuará adicionando seus materiais a este banco de dados online ao longo do tempo.

Coleção de livros da Norwalk History Room
Os livros da Sala de História estão catalogados no catálogo online da Biblioteca Pública de Norwalk.

Outros recursos online
Links para histórias, genealogias, mapas e bibliografias de Norwalk que podem ser encontrados online, bem como outros recursos online. Muitos itens estão localizados na coleção de livros Norwalk History Room.


A história oficial é que Roger Ludlow estabeleceu-se em Norwalk em 1640, depois de trocar algumas bugigangas aos índios locais. A história real é muito mais confusa. Nos anos paleo, a Nova Inglaterra era coberta por uma vasta camada de gelo, parecida com a retratada em O dia Depois de Amanhã. O manto de gelo, mais poderoso do que uma escavadeira monstruosa, esmagou rochas, pedregulhos e solo criando um vale fértil de lama e outras coisas ao longo do principal córrego glacial que chamamos de Rio Norwalk.

A lama provou ser um bom solo fértil para crustáceos, peixes e Vai pescar. Foi o que os primeiros colonizadores fizeram, seguindo as tribos indígenas nativas que colhiam mariscos e ostras e batizavam a maior parte da área.

Norwalk é um antigo local habitado. Os índios governaram a terra (ecologicamente) muito antes de holandeses e puritanos batalharem para abrir caminho para nossa expansão urbana. Problemas indianos, significando ataques, eram comuns nos primeiros anos, mas logo a paz veio por meio da venda de imóveis graças às Ordens Fundamentais de Connecticut, que gerou um governo organizador, e o bom e velho Roger Ludlow se tornou um cara poderoso. Até cerca de 1662, quando o rei Carlos de volta a Merrie Olde England descobriu o que esses primeiros Nutmeggers estavam fazendo e restabeleceu quem estava no comando, o rei e o parlamento britânico.

Embora houvesse muitas tribos de índios que povoavam as costas do atual Connecticut e Nova York, o maior grupo em Norwalk vivia no que hoje é Wilson Point, em um vilarejo chamado Naramake. No que só pode ser descrito como problemas iniciais de zoneamento, o atrito se desenvolveu como resultado de todas as vendas de terras entre vários grupos indígenas e os colonos europeus, e grande parte dos primeiros anos foi uma série de lutas por contratempos e limites. Em 1650, o Código Ludlow estabeleceu o conceito de invasão de plantações inglesas, e os limites oficiais de Norwalk foram estabelecidos do Five Mile River ao Saugatuck River, o que significa que Darien, Westport, Wilton e New Canaan já foram Norwalk!

THOMAS FITCH

O 14º governador de Connecticut (1754-1766) veio de Norwalk. Fitch governou durante uma época que oferece alguns insights sobre os ventos predominantes que levaram à Guerra Revolucionária. Para preparar o cenário, os britânicos estavam tentando recuperar os custos de travar a guerra francesa e indiana, e em 1763 o parlamento britânico impôs um “imposto do selo” que era essencialmente um imposto sobre todas as transações nas colônias para pagar por essa guerra. Isso, naturalmente, não agradou aos colonos e teve mais a ver com fomentar a Revolução do que com o Boston Tea Party.

A Fitch enviou uma delegação de Connecticut ao Congresso da Lei do Selo na cidade de Nova York. Isso foi amplamente visto como uma lotação esgotada, embora apenas 5 votos legislativos se opusessem a ir. Uma efígie de Fitch foi prontamente queimada em Hartford em protesto. Os ânimos explodiram e o primeiro coletor de impostos nomeado foi forçado a renunciar. Significativamente, enquanto muitos assinaram uma petição para apelar do Imposto sobre o Selo, os comerciantes de Norwalk não estavam entre eles. Fitch acabou voltando um pouco para a posição de colono, alegando que não poderia fazer cumprir a Lei do Selo porque faltava papel e um colecionador, mas a culpa por apoiar os ingleses provou ser sua ruína, encerrando seu tempo como governador.

REBELIÃO

Norwalk do século 18 foi um centro de empreendimentos agrícolas. Carne, porco, queijo, manteiga e peles foram trazidos para os comerciantes de Norwalk. A linhaça foi enviada para a Irlanda e o cânhamo foi cultivado. O cais em Fort Point era o lar de navios que faziam comércio para lugares como Antígua e Barbados. Outros cais privados foram construídos tornando o Norwalk um porto movimentado. Mas havia um problema.

O porto de Norwalk só podia receber navios na faixa de 30-40 toneladas. O Long Wharf de New Haven podia receber navios de 300 toneladas, tornando-o o porto de referência. Essa parte de Connecticut se tornou o centro administrativo para os britânicos, colocando a alfândega de New London como "a alfândega". Isso exigia que navios de Nova York subissem a costa e voltassem, um desvio, para entregar mercadorias em Norwalk.

Embora na superfície Norwalk não se opusesse abertamente às tentativas britânicas de restringir as cobranças alfandegárias, sob a cobertura de neblina e escuridão Norwalk era o lar de atividades rebeldes. A geografia de Norwalk se prestou ao contrabando com seus muitos portos, rios e riachos. Norwalk também tinha um comerciante proeminente que também atuava como falsificador de certificados da alfândega & # 8211 John Cannon, que trabalhava com seu cunhado John Pintard.

Em 1770, a maior parte de Connecticut estava se rebelando de alguma forma contra as políticas fiscais britânicas. No entanto, quando em setembro de 1774, a maioria das cidades adotou resoluções de apoio ao Congresso Continental, Norwalk demorou. É uma estimativa, é claro, mas pelo menos 35% da população de Norwalk e do resto do Condado de Fairfield eram britânicos leais. Isso significa que o fervor revolucionário, uma vez que o tiro ouvido "em todo o mundo começou, não estava tão profundamente enraizado na vida de Norwalk como em outros lugares. O que torna o que acontece a seguir um tanto surpreendente.

A QUEIMADURA

Todo aluno de Norwalk sabe as datas de 11 e 12 de julho de 1779, quando um exército expedicionário britânico, liderado pelo major-general britânico William Tyron, começou a queimar Norwalk até o chão. O evento catalisou o General George Washington a usar a, er, história inflamada para reunir suas tropas. Nada supera o folclore da Nova Inglaterra como uma história de ousadia revolucionária. Norwalk, entretanto, não oferece um passeio à meia-noite ou uma batalha de George Washington para comemorar. Temos a história escaldante. Para deixar claro, os britânicos decidiram invadir cidades costeiras de seus acampamentos em Long Island. Eles escolheram Norwalk porque os britânicos presumiram que Norwalk fornecia comida e roupas para os rebeldes coloniais. Mas muito de Norwalk era meio ambivalente quanto a se libertar da Mãe Inglaterra.

Como uma cidade mercantil, os desejos e necessidades de seus fazendeiros e industriais estavam mais alinhados às transações. Na verdade, a Declaração da Independência nem mesmo foi celebrada em Norwalk até alguns anos após o fim da guerra da Independência.

O ataque à cidade de Fairfield deveria ter alertado Norwalkers sobre a estratégia britânica de queimar tudo à vista. Mais de 130 casas, 40 lojas, 100 celeiros, 5 navios, 2 igrejas e 4 moinhos foram totalmente queimados. Acontece que pelo menos seis edifícios conseguiram sobreviver ao incêndio, mas a devastação de Norwalk foi significativa o suficiente para ter sido o catalisador para George Washington reunir apoio para os rebeldes em uma carta enviada às colônias.

COMERCIANTES E COMERCIANTES

Em 1800, Norwalk, como a maior parte do Condado de Fairfield, estava perdendo agricultores em parte devido às dificuldades econômicas do pós-guerra e em parte devido aos mesmos problemas que enfrentamos hoje - a terra era cara. A forma federalista de tributação não ajudava em nada; as terras agrícolas eram tributadas, mas não outras formas de riqueza, como os estoques. Isso abriu o caminho para Norwalk construir uma base industrial. Norwalk tornou-se o lar de algumas importantes indústrias de manufatura inovadoras.

A laminadora e cortadora Lockwood estava localizada no que hoje é a Glover Ave, então localizada entre o rio Norwalk e o pedágio Danbury-Norwalk. O minério de ferro de alta qualidade era queimado e convertido em folhas, chapas, barras, aros e hastes em uma laminação. Um moinho de corte pega o ferro laminado, corta e o estampa em pregos, enxadas ou folhas de molas. Lockwood fazia as duas coisas em um só lugar; na América pós-colonial, as laminadoras e as laminadoras de corte costumavam estar a quilômetros de distância uma da outra.

A Norwalk Lock Company (1856) estava localizada em South Norwalk, atualmente chamada de Lock Building, e introduziu o conceito de linhas de montagem para a confecção de fechaduras. As vizinhanças Yale Locks tinham tecnologia melhor, mas Norwalk Locks alcançou certa fama no estado de Michigan, que usava as Norwalk Locks em prisões estaduais, hospitais e asilos.

Também em South Norwalk estava a Morrison & amp Hoyt Shirt Factory, que já empregou mais de 300 mulheres entre 18 e 22 anos, criando uma demanda por moradias de boa reputação. A R & amp G Corset Factory (1901) empregava mais de mil trabalhadores, quase todas mulheres. Essa indústria agitada também fez com que South Norwalk fosse uma parada ferroviária importante ao longo do caminho para Boston e também um cenário propício para conflitos trabalhistas.

South Norwalk foi notícia nacional sobre as greves da indústria de chapéus, desencadeando um movimento sindical que se espalhou rapidamente. Outro evento, a tragédia do Boston Express em 1853, despertou o interesse nacional. Em 3 de maio, o Expresso chegou a Norwalk com 8 minutos de atraso. O engenheiro de trem acelerou através de South Norwalk a 20 milhas por hora e contornou a curva que levava à ponte levadiça, mas a ponte levadiça estava aberta.

O motor e 5 carros mergulharam no rio Norwalk, matando 45 e ferindo gravemente 25. Isso levou a uma mudança para uma sincronização de tempo padronizada entre cidades e tabelas de horários uniformes.

PERDIDO NORWALK

A história de Norwalk também inclui partes que foram perdidas, mas não esquecidas. Entre as histórias mais interessantes está a história do que aconteceu a Grumman Hill.

Grumman Hill

O monumento, no cume da Colina de Grumman, marca o local onde o major-general William Tryon testemunhou o incêndio de Norwalk pelas tropas britânicas sob seu comando durante o engajamento de 11 de julho e 12 de julho de 1779. Há um monumento no local , erguido pelo Norwalk Chapter DAR em 1904. Mas onde fica o cume? O cume real foi arrasado na década de 1950 para que o Norwalk Inn pudesse ser construído. A placa, afixada em uma pedra, agora está em frente à entrada da garagem da pousada.

The Burndy Library

Por alguns anos, por volta de 1964, Norwalk foi o lar de uma coleção de 67.000 itens de livros e documentos científicos raros, todos pertencentes a um engenheiro mecânico chamado Bern Dibner. O complexo edifício da biblioteca da coleção há muito foi substituído por um Staples na Richards Ave. Mas por um tempo esses artefatos mundialmente famosos, incluindo alguns papéis, publicações, cartas e manuscritos de Leonardo DaVinci de Albert Einstein e todas as principais obras de Louis Pasteur fizeram parte desta biblioteca de pesquisa científica. Em 1974, Dibner enviou mais de 11.000 livros raros, manuscritos e outros itens ao Smithsonian para formar o núcleo de uma biblioteca de pesquisa nacional.


História de Norwalk, Connecticut - História

Condado de Fairfield, Connecticut

1640 Roger Ludlow comprou terras do chefe Mahackamo. O acordo de Ludlow com os índios previa a compra de terras entre os rios Norwalk e Saugatuck.

1651 Norwalk oficialmente fundada.

1754 Thomas Fitch de Norwalk tornou-se governador da colônia de Connecticut.

1775-1783 Guerra Revolucionária Americana.

1779 O general Tryon desembarcou seus homens em Calf Pasture Beach e os levou até a Sunset Hill e depois a East Avenue, queimando um total de 135 casas. (Um monumento fica na esquina da East Avenue com a Adams Avenue para homenagear aqueles que lutaram contra os britânicos nesta & quotBattle of the Rocks & quot.)

c. 1785 - Taverna Silvermine.

1800 o barco a vapor de 80 pés de comprimento, o Adelphi dobrou as águas em torno de Norwalk.

A Andrew Oyster Company construiu seu prédio empresarial na orla de Long Island Sound.

1804 O capitão Robert Sheffield de Stonington comprou a Ilha White (mais tarde conhecida como Ilha Sheffield).

1835 a velha casa da cidade foi demolida por alguns cidadãos ofendidos com a deterioração do edifício.

1836 uma nova casa de tijolo erguida.

1848 o trem chegou a Norwalk.

1853 (6 de maio) - um acidente de trem em South Norwalk matou 46 pessoas. Dois carros de bagagem, dois carros de passageiros e parte de um terceiro carro de passageiros entraram no rio.

c. 1864 - Museu da mansão vitoriana Lockwood-Mathews com 50 quartos construído. (Agora é um marco histórico nacional, bem como um museu).

1868 Construído o farol da Ilha Sheffield.

1878 (28 de setembro) explosão de uma caldeira no barco a vapor Adelphi causou 30 feridos. O navio foi posteriormente reconstruído como A cidade de albany.

1888 a Grande Nevasca de 1888.

c. Década de 1890 - Estação de trem South Norwalk construída

A foto de 1892 mostra a South Main Street e a Railroad Avenue do Mahackamo Hotel.

1902 O farol da Ilha Sheffield foi substituído pelo novo Greens Ledge Light mais a oeste.

c. 1912 - Construído o City Hall. Agora foi restaurado e funciona como o Museu de Norwalk, com exibição comunitária e coleção de arte, móveis e artefatos de Norwalk.

1912 a foto mostra o moinho de Guthrie.

1913 - Andrew Carnegie mandou construir a South Norwalk Branch Library.

1917 - formação da Connecticut Light and Power Company.

A foto de 1936 mostra o Aeroporto de Norwalk. (A All Saints School agora ocupa o local.)

1952 Norwalk, campeão da Little League World Series.

1955 uma chuva de 12,89 polegadas levou a uma enchente que causou mais de US $ 8 milhões de dólares em danos no coração de Norwalk (especialmente em Wall Street).

1994 - A Estação de Trem South Norwalk é reformada e modernizada para recriar muitas das características históricas do século 19, incluindo uma área de espera em estilo vitoriano no lado oeste.

2003 - população de 84.170.

Norwalk: o pior desempenho da cidade para preservação de áreas naturais

Não estou nem um pouco impressionado com a Norwalk na área de preservação de áreas naturais. O mapa detalhado do condado mostra muitos & quotparks & quot, mas a maioria deles são meras extensões de áreas recreativas das escolas de ensino fundamental, médio e médio.

Cranbury Park é praticamente a única grande área natural da cidade. Visitamos o Woods Pond Park e o encontramos virtualmente abandonado, com trilhas invadidas por espécies invasoras e propriedades privadas muito perto da extremidade norte. Paramos em um parque na Avenida Ponus que era todo bosque, mas não havia sinalização nem trilhas. Paramos ao longo do Heritage Walk - não claramente sinalizado, se é que existe sinalização, principalmente urbano e / ou hortícola, não natural.

Veterans Parks é apenas para residentes. As praias são apenas para residentes, exceto na baixa temporada. Taylor Farm não tem trilhas e é usada principalmente como área para cães sem coleira.

Que decepção e a pior das muitas cidades que vimos nos condados de Fairfield e Litchfield.

Vamos, Norwalk, pegue alguns & quotAmigos de. . . & quot grupos e trabalhar com o pouco que você tem para tornar Norwalk um lugar mais habitável.


Petiscos fascinantes da época de, e ao redor, a batalha de Norwalk

1) Bolas de canhão e balas de mosquete podem ser encontradas em várias casas de Norwalk ao redor
Cannon Street, Flax Hill Road, bem como outras casas em Norwalk.

2) Onesimus Comstock, the last slave in Connecticut, is said to have diverted British troops away from the battle. He then observed the destruction from the area which is now The Silvermine Golf Club.

3) The Hessians mistakenly burnt down The Church of England on East Avenue due to language communication difficulties with the British troops.

4) It was Former Norwalk, Connecticut citizens who accepted government compensation grants for destroyed property after the war who settled Norwalk, Ohio.

5) The song “Yankee Doodle Dandy” was a musical satire by The British troops mocking the Patriot’s “manhood” as well as their meager uniforms because they had to “put a feather in their cap and called it macaroni.”

6) The term “son of a gun” was given to babies born “between the cannons” on warships during the American Revolution.

7) One third of The American Navy during the war was African-American.

8) Many of The American Army were poorly equipped and inadequately dressed, especially during winter campaigns. To improve morale and discipline, Washington had soldiers sew large buttons on their sleeves so they could not wipe their noses. This is the origin of cufflinks

Welcome to West Norwalk


Século 19

In 1826, agents of the U.S. Treasury Department (which was in charge of lighthouses at that time), after surveying various sites in the Norwalk Islands, decided that the western end of Sheffield Island was the most suitable spot for a light to mark Norwalk Harbor.

. . .

With the end of the Civil War, shipping traffic in the harbor increased, and in 1867 Congress appropriated funds to build a new lighthouse and keeper's quarters.

. . .

The new structure was two-and-a-half stories tall and built out of granite blocks. At the front end of the roof, a cast-iron lantern tower rose to forty-six feet. A fourth-order Fresnel lens, which produced alternating red and white flashes and was installed in the old tower in 1858, was moved to the new lighthouse.

In 1836 the central area around Wall Street and the Green was incorporated as the Borough of Norwalk with an area slightly smaller than the present day First taxing district.

In January 1849 the New York and New Haven Railroad began operating between its nominal terminal cities through Norwalk. In 1852 the Danbury and Norwalk Railroad connected Norwalk with Danbury. The South Norwalk station was used by both railroads. The first major U.S. railroad bridge disaster occurred in Norwalk in 1853. The engineer, Edward Tucker, carelessly neglected to check the open drawbridge signal as his one hundred and fifty passenger train approached the Norwalk River.

He only realized the bridge was up within about four hundred feet of the gap, which proved to be insufficient to stop the train. The engineer and the fireman jumped from the train and then the locomotive, two baggage cars (the latter also a car for smokers) and two and a half passenger cars (the third car split when the train finally came to a stop) went plunging off the tracks into the river. Forty-six people drowned or were crushed to death, and an approximately thirty people were more or less severely injured. Tucker, who survived, never overcame his feelings of guilt, and five years later committed suicide. By 1872 the NY&NE merged with the Hartford and New Haven Railroad to form the New York, New Haven and Hartford Railroad which lasted until its merger with Penn Central in 1969. The Housatonic Railroad leased the D&N in 1887. The Housatonic was then purchased by the NYNH&H in 1892 and the D&N became the Danbury Branch of that railroad.

Norwalk is reputed to have been one of the stops on the northward land route of the Underground Railroad. Several trunk lines emanated from New York City, a central point in the escape route, which one passing through Greenwich, Darien, Norwalk, and Wilton. Several era-houses still standing have secret chambers or passageways that could have been used to hide runaways but no documentation exists that identifies one particular house or even one area. However, tradition states that a house at 69 East Avenue was Norwalk's stop on the Railroad.


Fairfield County CT Histories and Genealogies

NOTE: Additional records that apply to Fairfield County are also on the Connecticut Histories and Genealogies page.

Fairfield County Histories and Genealogies

Commemorative biographical record of Fairfield County, Connectitcut, containing biographical sketches of prominent and representative citizens, and of many of the early settled families Genealogy Gophers

History of Fairfield County, Connecticut, 1639-1928, Vol. 1 Esquilo genealógico

History of Fairfield County, Connecticut, 1639-1928, Vol. 2 Genealogy Gophers

Bethel Histories and Genealogies

Black Rock Histories and Genealogies

Bridgeport Histories and Genealogies

A history of the old town of Stratford and the city of Bridgeport, Connecticut v. 1 Genealogy Gophers

A history of the old town of Stratford and the city of Bridgeport, Connecticut v. 2 Genealogy Gophers

History of Bridgeport and vicinity V.2 Genealogy Gophers

Selected chapters on the history of Bridgeport Connecticut State Library

Selected chapters on the history of Bridgeport Connecticut State Library

Brookfield Histories and Genealogies

Annals of Brookfield County, Connecticut Genealogy Gophers

Danbury Histories and Genealogies

Darien Histories and Genealogies

Easton Histories and Genealogies

Fairfield Histories and Genealogies

The history of Fairfield, Fairfield County, Connecticut : from the settlement of the town in 1639 to 1818 V/1 Genealogy Gophers

The history of Fairfield, Fairfield County, Connecticut : from the settlement of the town in 1639 to 1818 V/2 Genealogy Gophers

Greenfield Hill Histories and Genealogies

Greenwich Histories and Genealogies

Other days in Greenwich, or, Tales and reminiscences of an old New England town Genealogy Gophers

New Canaan Histories and Genealogies

New Fairfield Histories and Genealogies

Newtown Histories and Genealogies

Colonial Connecticut Records 1636-1776 University of Connecticut

Norwalk Histories and Genealogies

Redding Histories and Genealogies

The history of Redding, Connecticut from its first settlement to the present time : with notes on [families] Genealogy Gophers

Ridgefield Histories and Genealogies

Ridgefield in 1800 Connecticut State Library

Shelton Histories and Genealogies

Shelton's History Spirit of Shelton

Souvenir history of Derby and Shelton, Connecticut. Issued by the Evening transcript, January, 1896 Connecticut State Library

Sherman Histories and Genealogies

Southport Histories and Genealogies

Stamford Histories and Genealogies

A Condensed History of Stamford, CT Stamford History Centery

History of Stamford, Connecticut : from its settlement in 1641, to the present time, including Darien, which was one of its parishes until 1820 Genealogy Gophers

Picturesque Stamford, Conn. : a souvenir of the two hundred and fiftieth anniversary of the settlement of the town of Stamford, containing an historical sketch, covering salient points of Stamford's history from 1641 to 1892 Genealogy Gophers

Stratfield Histories and Genealogies

Stratfield in 1800 Connecticut State Library

Stratford Histories and Genealogies

Genealogies of the town of Stratford, Connecticut Genealogy Gophers

Trumbull Histories and Genealogies

Weston Histories and Genealogies

Westport Histories and Genealogies

Wilton Histories and Genealogies

Como usar este vídeo do site

Connecticut Map

Fairfield County shown in red

Dica de pesquisa

Understanding the history of the area where your ancestor lived can be helpful to understand what their life may have been like and to give background information or other clues that can be helpful. Histories and genealogies are published books or collections that contain genealogical information. They may include county histories, town histories, other types of histories, collections of biographies, genealogies of families, collections of records for a specific area, etc.


Little islands with a long history

L'Hammock Island Friday, October 12, 2018, in Norwalk, Conn.

Erik Trautmann / Hearst Connecticut Media Show More Show Less

Betts Island Friday, October 12, 2018, in Norwalk, Conn.

Erik Trautmann / Hearst Connecticut Media Show More Show Less

Woods Island in Norwalk, Conn. Thursday, August 4, 2016.

Erik Trautmann / Hearst Connecticut Media Show More Show Less

NORWALK &mdash Chimon and Shea, Sheffield and Cockenoe &mdash when people think of the Norwalk Islands, these are a few that come to mind.

Lost in the mix of the larger, more memorable islands, though, are a smattering of smaller ones that only those truly familiar with area waters can name. These small islands, most of which are privately owned or largely unusable, are mostly concentrated in the small bay between Sheffield and Shea islands.

For Norwalk native Connor Cotaling, the best parts of the summer reside on one such island. At week&rsquos end, Cotaling abandons the mainland, leaving the stresses of everyday life on its shores, and embarks for the home shared by members of his extended family on L&rsquoHammock Island.

Once fully submerged in water, L&rsquoHammock was transformed into a livable piece of property some time in the late 1800s, Cotaling said, when its original owner erected a retaining wall around the 1.7-acre hummock and filled it in with sand and rock.

Over the course of a century, three homes sprouted out of the &ldquoisland,&rdquo one of which the Cotaling family eventually landed in 1962.

&ldquoIt&rsquos nice to have a place to get away from everything that is only 20 minutes away,&rdquo Cotaling said.

Come Friday night, after a long week of work at the family&rsquos auto body business, Cotaling, 28, his cousins and some friends unmoor his boat from the East Norwalk Boat Club and putt out of the Norwalk River.

The route transports them away from the bright lights of city and toward the tranquil waters of Shea Bay. To the right, they pass Shore and Country Club, with Calf Pasture Beach simultaneously drifting past on their left. There, they chug along, careful not to create a wake, until they pass the red-and-green channel marker at the end of the city&rsquos harbor.

Free from the confines of the harbor, Cotaling opens the boat&rsquos throttle and propels the boat past Betts Island, located to the northeast of Chimon Island, on their port side.

At 14.8-acres, Betts is one of the larger satellite islands and the first significant body of land boaters see as they enter Long Island Sound. Through the years, the island has changed as it passed from one owner to another.

In 1874, a group of 34 oystermen pooled money to purchase Betts, where they later constructed a watch tower from which they could keep a close eye on their oyster beds. The island transferred hands in 1929, two weeks before the stock market crashed, bought by Capt. Frederick Lovejoy and Clarence Merritt, and ever since the island has been split into two parcels, each with its own home.

From Betts, Cotaling&rsquos sleek red power boat passes through one of Norwalk&rsquos trickiest stretches of water, where the inexperienced could easily beach their boats on the unseen shores of Tree Hammock, Sandy Hammock or Dog Island, which are visible only at low tide.

Much as these islands remain largely hidden, so too do their histories. In the annals of history, Tree Hammock and Sandy Hammock are mentioned merely as footnotes to Shea Island, and Dog Island&rsquos lone claim to fame is that a duck hunting club once tried and failed to buy the modest tract of land.

Most of the small islands scattered around Shea Bay were originally owned by Gershom Burr Smith, whose holdings included Chimons, Cockenoe and Sheffield islands.

L'Hammock Island is a not actually an island, but a man-made refuge built on a 1.7-acre hummock in Shea Bay at some point in the late 1800s.

Betts Island was purchased by a group of 34 oystermen in 1874, who constructed a watchtower on the island's western shore to overlook their oyster beds.

Dog Island, which is often completely submerged, was nearly purchased by a duck hunting club in the early 1900s.

Dog and Little Hammock (also known as Temperance) islands are the two smallest islands in Norwalk.

Where some boaters might struggle to navigate this boater&rsquos obstacle course, Cotaling clears it easily despite the dimming light, as though doing it more through memory than sight, moments later docking his boat at his home away from home.

To the northeast, you can see Wood Island, a private residence that is also home to prospering nest of ospreys. L&rsquoHammock&rsquos sister island, Little Hammock, lies to the southeast where a small home sits on a slightly larger spit of land.

Once, these islands, along with L&rsquoHammock, all belonged Gershom Burr Smith. While the financial troubles of his son, Theodore Smith, marked the end of their ownership of the islands, it also marked the beginning of a long history that led to the Cotalings, and families like theirs, seizing their own piece of paradise.


Assista o vídeo: The Flood Of 1955 in Norwalk CT (Janeiro 2022).